This skin was created by Cortez of the IF Skin Zone
[Logo Furyanos]

Create your own social network with a free forum.
zIFBoards - Free Forum Hosting
Bem vindo ao Furyanos RPG.

O forum de um grupo de RPG brasileiro com mais de 7 anos de tradição e muitos, muitos jogos.

Join our community!

Se você já é um membro, faça login para aproveitar as funcionalidades do forum.

Name:   Password:


Pages: (2) [1] 2  ( Go to first unread post )  [Responder] [Novo Topico] [New Poll]

Triangle Os Mistérios da Princesa
ferparker
Posted: Jan 23 2012, 05:50 PM
 [Quote Post]


Aprendiz
*

Group: Admin
Posts: 32
Member No.: 29
Joined: 28-September 10



Certa noite, em um dos meus sonhos, uma frase ficou marcada e nunca mais puder esquecer a lição que meu inconsciente tentava me passar: “Todos nós temos lados bons e ruins dentro de nós, que ninguém é um monstro se assim não desejar e que meu destino, quem eu me tornaria, iria depender exclusivamente de minha força em lutar pelos meus sonhos”.

Eu acordei e vivi cada segundo até agora, com isso ecoando em minha mente. Mas sempre havia um segundo pensamento que me seguia este, um novo tapa na cara que me jogava no chão e me fazia pensar que meu destino somente traria dor e sofrimento, quer eu queria ou não, pois eu tinha um monstro imenso dentro de mim, dentro do poço de minha alma. E então a nova lição que aprendo é que eu não devo me aproximar do meu monstro, ou tomar cuidado quando olho para o monstro que dorme lá no fundo, ou ele poderá também me olhar.

Não tenho mais aquele medo que eu tinha ao me deitar. Não mais tenho os pesadelos de antes. Não mais acordo sem saber o que fiz enquanto estava desacordada. Acredito que não estou mais beirando o poço onde o monstro se encontra...

.....

Eu neguei o retorno para Kallamehr até que não consegui impedir que meu grupo clamasse por lá ir. Mas eu nem tinha muito que temer, seria apenas uma noite lá, eles iriam beber, comer e se divertir e então partiríamos pela manhã. Ninguém de meu passado iria saber que eu havia retornado, e como meus amigos não sabem nada de meu passado, eu não corria riscos, e nem eles por estarem comigo. Mas tudo estava dando errado, mesmo antes de pisarmos lá.
Depois que o Senhor K me levou à força para aquela conversinha e exigiu que eu entregasse meu tesouro para ele, eu já retornei para meus amigos com a mente em um turbilhão de sentimentos e duvidas. E então, surge Alph...

Rever um rosto amigo quando se está cercado de pessoas que querem sua cabeça é algo mágico. Mais mágico ainda foi quando ele começou a falar. Eu nunca imaginaria que ele pudesse ainda me amar, eu nunca fui de importar com essas coisas sentimentais que só enfraquecem as pessoas. E Alph era tão bobo que caiu direitinho quando inventei a condição mais impossível para que eu me casasse com ele. Ele passou todo esse tempo lutando, motivado pela impossível missão que lhe dei, mas ele teve sucesso, ele disse que fez o que eu pedi, que era o homem mais rico da cidade. Quando inventei que eu me casaria com ele quando ele fosse o homem mais rico da cidade eu não podia imaginar que ele seria capaz, mas a motivação dele foi algo que não pude prever, e eu fui esta motivação...

Ele não hesitou em me contar como ele conseguiu tamanha riqueza. Um feiticeiro o procurou para que o ajudasse pega uns objetos nos esgotos. Segundo o feiticeiro, o lugar era muito perigoso, com armadilha letais que seriam ativada com um simples suspiro, mas que Alph poderia ter toda a riqueza do lugar para ele, desde que o arcano ficasse com alguns poucos itens. E assim, sem que Alph soubesse, ele encontrou meu tesouro... Eu não ousei falar que era meu, reivindicar meu direito. Ainda mais, pois se eu fizesse isso, meus amigos e ele estariam em perigo. Senhor K deve estar me vigiando, só esperando para que possa se apossar de meus bens, e ele não hesitaria em matar quem estivesse no seu caminho para isso. Não! Não posso deixar que meus problemas afetem inocentes, não mais. E assim me calei.

Logo chega Gabiru e alguns de seus capangas, um alto líder do crime local. Senhor K agora é o ladrão mais temido da cidade e, segundo Gabiru, Crimsom é o homem que agora comanda tudo que é feito na cidade. Vejam só, algum pouco tempo que me ausento e cargo é ocupado por duas pessoas. Parece que não existe alguém a minha altura que possa ter ambas as posições, uma lástima.

Mas seguindo em diante... Gabiru escoltou meus amigos e eu até a fina joalheria de Crimsom, onde ele me aguardava para que eu me apresentasse, afinal de contas, todos estão com medo de perderem seus lugares agora que estou na cidade. Ele me chama na sala particular para conversarmos.

Para variar, todos aqui parecem crer que meus amigos são minha gangue, mas já nem me importo com o que pensem de mim por mim. Esclareci que não estou à trabalho, que ele podia ficar despreocupado pois logo pela manhã eu iria partir. Sim eu ia sumir da cidade e nem me importar com as exigências do Senhor K. Mas Crimsom tinha planos e não quis uma visita cordial apenas. Ele queria dois itens de meu tesouro, itens que roubei de dois templos. O maior interesse dele seria pelo Amuleto de Pelor, que obtive no próprio templo mor de Pelor, conhecido como amuleto da vida eterna, e também a Mão de Nerull, a luva que fabrica a morte, que consegui no templo de Nerull.

Quando ele percebeu que eu me negaria a ceder o que ele quer, ele continuou a falar. O lugar que estávamos era constantemente bombardeado com um veneno mortal, que mata em poucos dias, dez dias na verdade. Segundo ele, a morte eh gradativa, começando com sangramento pelas narinas, gengiva, olhos, uretra e anus e por fim a morte. Eu não estaria nem me importando com isso. Eu poderia morrer naquele instante que estaria feliz e fazendo o melhor para meus amigos, mas ele então disse que lá atrás, meus amigos também estão dependendo de mim para ficarem vivos. Não pude acreditar no que ele estava fazendo, usando meus amigos para me obrigar a fazer o que ele queria.

Se isso tivesse ocorrido tempos atrás, se eu ainda pensasse como antes, eu deixaria eles morrerem sem nenhum peso na minha consciência, mas eu não sou mais forte assim, sou uma fraca emotiva agora, e fui fisgada como um peixe por um anzol. Eu até tentei usar meus dons especiais de Oryn para obriga-lo me dar os antídotos, mas isso eh perigoso. Posso sair do controle e matar meus amigos, como foi da outra vez. Se eu estivesse com meu capacete aqui, e não na bolsa lá fora, eu podia agir sem medo. Só que mesmo se eu fizesse isso, Crimsom podia ir atrás deles depois. Sei que já os “Oryns Caçadores” já estão atrás de mim e que por isso meus amigos já estão em perigo, mas colocar ainda mais gente os caçando seria imperdoável...

Saímos de lá e fomos direto para a Taverna do Pônei Saltitante, onde tínhamos acesso gratuito, já que Crimsom estaria pagando nossas contas. E todos meus amigos achando que ele era tão bondoso que estava pagando a conta simplesmente por livre e espontânea vontade, num gesto de cordialidade. Como são tão tolos em sequer questionar algo que é tão estranho? Mas preferi não preocupa-los por hoje. Amanhã eu tento resumir tudo. Melhor deixar que eles sejam felizes, alguém aqui precisa ser feliz não é?

Andor e Nanoc estavam extremamente felizes. Iam beber até não aguentarem e terem garotas de programa de luxo, Adelle e Tamara. N e Haisenkar ficaram apenas comendo e bebendo, não se entregando aos prazeres sexuais. Comida, bebida e luxuria... Tudo estaria perfeito para meus amigos antes que eu contasse que estavam em perigo, simplesmente por estarem comigo. Sempre soube que sou péssima companhia. Ainda quando descobri tudo que agora sei sobre eu ser uma Oryn... Isso sim foi o estopim para que a minha bomba de perigo acendesse.

Um homem então chega pedindo esmola. Até lhe ofereceram um pouco da comida, mas ele também precisava dinheiro e então lhe ofereci um trabalho. Ele traria Alph ate ali e eu o pagaria. O homem então sai feliz. Mais um feliz por alí... eu podia ter até dado uma esmola para o infeliz, mas ele tem de perceber o valor do dinheiro, para isso deve trabalhar para consegui-lo. O QUE? Eu não falei isso, não acredito que o clima depressivo por aqui me fez pensar isso. Realmente, essa cidade me deixa fraca, uma fraca imprestável que coloca os amigos em perigo por culpa própria...

Quando o assunto lá começou ficar mais quente entre Andor com Tamara e Adelle Boquinha eu tive certeza era minha hora sair dali. Melhor ficar sozinha na outra sala do que atrapalhar a diversão de todos. Mas pelo visto não sou a única infeliz aqui, já que logo Haisenkar veio falar comigo. Homem observador, já que logo pode perceber que tem algo que sei e não conto, assim como também deve ter monstros dentro de seu corpo que o assombram. Dois infelizes ali na lareira, mas logo N chega, uma luz para apaziguar nossa escuridão. Ela estava preocupada comigo, mas também estava sozinha na sala, já que os dois casais foram para os quartos. Confesso que achei que Andor e Nanoc não seriam capazes de conseguir cortejar duas mulheres de classe, mas acho que o dinheiro do Crimsom falou mais alto para elas e resolveram encarar os dois bêbados.

E assim chega Alph, todo feliz pelo chamado. E eu também por vê-lo ali. N e Haisenkar não gostam dele, e ficaram por perto espreitando para me ajudar se necessário quando sai ao lado para falar com ele.

Descrevendo os itens que Crimsom deseja, tive a certeza comprovada que o mago está com os itens mágicos, ficando à Alph todas minhas gemas, pedras e ouro. Pelo menso ele me disse onde encontrar o homem, numa caverna ao sul, onde ninguém se aproxima. Pois é, a coisa já soa ruim logo de começo.

Alph então me pergunta sobre um lenço que ele encontrou no lugar do tesouro, que seria parecido com o que eu usava na época e nesse momento, eu não aguentei. Ele estava sendo tão maravilhoso comigo... Contei que era meu tesouro, por isso eu sabia de tudo aquilo. Ele ficou mal com a situação, se desculpando por ter me roubado, mas logo se tranquilizou quando eu disse que não foi um roubo, que ele estava cuidando de minhas coisas para quando eu voltasse para ele. Sim, eu acabei falando isso, voltar para ele. Eu nunca tive nada com ele, sequer tive interesse, mas a ideia de ter alguém que me ame de verdade ao meu lado mexeu comigo. Ele passou todo esse tempo sem me esquecer, lutando com cumprir minha imposição, não há tamanha prova de amor. E assim, abalada, pergunto se ele ainda me amava, se ainda esperaria por mim. E as respostas somente me fizeram sorrir mais, embora as lágrimas começassem escorrer.
Ele concordou em esperar meu novo retorno. Eu não pude dizer tudo sobre o monstro que sou, apenas disse que descobri que tenho um irmão e que tenho de ir atrás dele agora. Alph até quis ajudar, mas concordou em me esperar e planejar nosso casamento. Sim... Eu também não acredito nisso... ele então sobe para preparar um banho para que eu possa me refrescar, ele esqueceu sua nova posição social e me rebaixou como um servo para me agradar e cuidar de mim...

Volto ao salão e vejo que Nanoc e Andor também já desceram. O meio orc parece ser muito bom de cama, mas Andor já lambuzou Tamara antes mesmo dele entrar nela e depois a coisa dele nem acordou mais. Eu quis até rir, já que Andor se dizia tão pegador. Até confesso fiquei com ciúmes de Andor, que sempre tive quando ele começou cuidar de mim. Mas depois de uns tempos, ele pareceu mudar e nem se importar comigo, então, vi minha chance de me vingar.
Os quatro iam subir novamente. Falei com Tamara e Adelle para que trocassem de homem, já que a Tamara também precisa ser feliz e não ser vitima do egoísmo machista de Andor. Assim, Nanoc e Tamara sobem, Adelle vai levar Andor para cama arrastado, mas fiz questão de usar meu cetro e retirar o resto das forças dele.

Em meu quarto, Alph me esperava. Ele havia preparado o melhor banho do mundo para que eu pudesse me aliviar. Depois ele fez uma massagem para relaxar e então dormimos do lado do outro, sem nada de mais, sem malicias. Um verdadeiro homem estava ali do meu lado, que tanto me ama, tanto me respeita. Seria eu digna disso tudo?

Pela manhã, desco para conversar com os demais. Alph se despede sorrindo e aos poucos meus amigos chegam numa sala reservada. Tive de perder varias vezes a paciência com Andor, que so se preocupava com a bebida que Crimsom estaria pagando. Não pude suportar ver que nosso inimigo está bancando tudo e fiz o taverneiro começar a marcar o gasto de cada um, que Crimsom não será mais o banco do grupo.

Ainda demorou para que o Andor criasse mentalidade de um adulto e deixasse de ser criança. Assim pude começar a contar os problemas, embora manipulando os fatos para evitar problemas maiores. Apenas disse que estávamos todos envenenados, que estavam usando eles para que eu cumprisse uma missão. Alguns pareceram ligar alguns fatos, como minha raiva, meu isolamento, mas eles sequer tinham idéia de tudo que passava por ali. Falei que íamos ter pegar uns itens para um homem e em troca teríamos os antídotos, que deveríamos nos preparar já que seria um lugar problemático, que deveríamos comprar tudo que precisaríamos e depois íamos partir. Não falei que foi o patrono da festa que os sentenciaram à morte, não falei sobre a fortuna de Alph ser minha, nem que os itens que tínhamos pegar era para o Crimsom, que eu os tinha roubado e que eram meus antigamente. As vezes informação demais só traz mais problemas. Melhor serem felizes sem saber de tudo.

Mas N e Haisenkar ficaram me indagando e contei algumas coisas. Sobre eu ser a antiga líder daqui e por isso estavam me usando para essa missão. Isso basta. Quanto menos souberem, melhor para eles. Se sem saberem nada já estão com seus dias de vida contados, imaginam se soubesse de toda minha história...

Não sei se estou agindo certo. Queria poder resolver isso e sumir. Se eu ficar por perto deles, vou continuar trazendo problemas, seja pela minha fama de Fae Mien, a princesa da noite e rainha dos ladrões, ou como Loryn, a terceira Oryn, a Oryn do Medo. Seja qual face minha estiverem vendo, somente trago problemas para quem estiver comigo.

Gostaria de poder acabar com tudo isso e poder viver como uma pessoa normal, não como Loryn ou Fae Mien, apenas como uma mulher igual a todas as que vivem nas cidades. E agora tenho para quem voltar se eu ficar viva no fim disso, Alph me espera. Mas tenho medo que eu esteja muito próxima do poço que tenho dentro de mim e o monstro lá debaixo já esteja me olhando novamente.

(Sessão de 21/01/2012)


--------------------
Um brilho apenas, que se acende no manto das trevas que domina meu mundo, não basta para afastar e acalmar minha besta interior


user posted image



MEUS SITES E LINKS
DesEncantada - Site Pessoal
Site Oficial do Final Fantasy RPG
FINAL FANTASY RPG - Espaço no Final Fantasy Brasil
 [PM]
 [Go to Top]
N
Posted: Feb 7 2012, 07:22 PM
 [Quote Post]


Calouro
*

Group: Members
Posts: 2
Member No.: 41
Joined: 7-February 12



Hoje é um dia especial pra N, dia em que ela pode sentir-se próxima daquela que a resgatou da morte, dando-lhe a vida e carinho que uma pessoa precisa. Por esse motivo N, tem uma gratidão enorme por Taryna.

Taryna é uma velha conhecida de N e Shynka. Taryna consegue manter contato com sua pupila N Promessa de Sangue, graças à pedra mágica que lhe deu de presente no dia em que ela partiu para ajudar o grupo de amigos de Shinka, um lindo colar no qual ela carrega com muito cuidado e os mantêm longe do alcance dos olhos de qualquer pessoa, pois é um elo entre as duas, uma forma de comunicação rápida, permitindo que Taryna esteja a par de tudo que está ocorrendo com o grupo.

Ao que tudo parece, N conseguiu se manter bem no grupo, ela que já passou por péssimos momentos em sua vida, hoje tem amigos e está fazendo o que realmente gosta, lutar e defender aqueles que ela ama... Atualmente, ela tem alguns companheiros que confiaram e aprenderam a respeitá-la, mesmo não sendo uma pessoa alfabetizada, ela tem uma sensibilidade nata capaz de perceber qualquer vestígio de mentira, tudo bem que às vezes chega a ser meio que exagerado e ela acaba desconfiando de quase todo mundo que aparece com intenções ocultas...

Na ultima conversa, entre as duas, N relatou coisas que deixou Taryna um pouco intrigada em relação a tudo que está ocorrendo no grupo, para ser mais precisa com uma pessoa em especial, Fae.

Enfim, vamos ao dialogo entre as duas:

Taryna: Que saudades de você minha querida N, como estão as coisas por ai?

N: N também ter muitas saudades de Taryna, mas N ser bem feliz com amigos do menino Shinka! N gostar de todos, Nanoquinho ser bem legal com N. Já Andor, é metido a pegador de muié. Hasenka parece não gostar de N, mas não ser má pessoa não! Fae, bem menina Fae é bem mandona em grupo, mas N saber que ela tem um coração de alufante!

Taryna: Minha querida como estou feliz por você! Espero que ninguém esteja te fazendo mal.

N: Fica di boa Taryna, grupo ser gente boa com N. N, só anda bem preocupada com menina Fae!

Taryna: Com Fae Mien?? O que está acontecendo?

N: Ah, N não entender muita coisa não! Mas N tá bem desconfiada e preocupada... Menina Fae anda toda esquisita, toda de segredinhos e bem preocupada com pessoas de Kalamé. N, acha que é por causa de pessoas cheias do dindin de lá de Kalamé.

Taryna: E quem são essas pessoas minha N? Você os conhece?

N: Ah N não conhecer pessoas ricas de kalamé não! Mas tem um tal de Alifer que disse pra Fae que agora é todo cheio da grana. Menina Fae, arregalou os zoios depois disso, parecia tá espantaiada. N tá bem desconfiada que esse homi ai é caidinho de amor como dizem por ai, por menina Fae. Menina Fae, parece que teve uma vida bem escura nuns tempos atrás...

Taryna: Uma paixão do passado?? Pode ter mais coisas por trás disso N!

N: N também achar isso, no dia que nois chegar em cidade, teve um homi com nome de rato, que veio logo chamando menina Fae pra prosear com um tal de Criminson. N, achar que esse homi deve di ser o chefão de Kalamé...

A casa desse tal de Criminson ser muito bonita, tudo coisa boa, sabe Taryna! Ele até quis saber quem era N! Mas o que homi queria mesmo era ficar de segredinho lá com menina Fae. Hasenka, Nanoquinho, menino Andor e N teve di ficar lá na sala com um bando de homi mal encarado vigiando nois!

O lero dos dois foi longo, N tava até irritada e preocupada de criminson querer abusar corpinho de menina Fae! Mas N estava errada, Depois disso o Criminson voltou com menina Fae e disse que nos daria de presente uma noite na taberna.

Taryna: N, ele pode não ser tão ruim assim, mas devemos ficar sempre atentos as bondades gratuitas! Tome mais cuidado com essas ofertas. Mas como era essa taberna?

N: Ah, taberna que Criminson deixou nois ficar era muito grande, bonita, tinha um nome bem de doido, N achar que o nome era Taberna do Pônei que saltita...

Taryna, N nunca viu tanta comida e bebida... Até que nois ser bem tratado, aproveitamos por de mais o buteco do seu Criminson! Mas Nanoquinho e Andor chutaram o pau da barraca e cataram muiê! Só menina Fae que continuava com cara de poucos amigos, e ficou toda amuada lá no canto dela! Parecia que menina Fae nem tava lá no buteco com a gente!

Taryna: Huummm... Então era como se sua feição estivesse rodeada de segredos, uma face vazia e preocupada?

N: É Taryna, N acha que foi mais ou menos desse jeito ai. É que N não saber explicar bem! N até tentou tirar algum sorriso de Fae, mas não teve jeito! Até que o tal de Alefi chegou todo se achando e dizendo:- oh, aqui está minha bela noivinha!

Taryna já saber que N é pessoa curiosa e preocupada com amigos né? N até perguntou pra menina Fae... Mas não, menina Fae parece uma porta de pedra, não diz nada pra N. Isso que N chama de confiança! Mas isso nem ajuda, só deixa N ainda mais curiosa...

Mas N tava cansada, chateada já que menina Fae preferiu ficar de prosa com o carinha lá e resolveu foi capotar! N tomou um banho bom, a cama lá era macia igual carne de javali!

Taryna: N, você continua a mesma, simples como sempre! E depois, o que aconteceu com N?

N: N acordou e amigos de N, já tava tudo lá com cara de cachaçaiada.
Fae mien, teve uma conversa muito séria com amigos de N, veio com uma conversa de que nois tudo tava envenenado e que ia todo mundo pro saco se não achasse um tal de tidoto em menos de uma semana!

Taryna: Meu Deus N, como assim você também tá envenenada? Precisamos cuidar disso, não posso deixar minha menina morrer!

N: Te preocupa não Taryna, N não acreditar nessas coisas! N sente que isso tudo é coisa de gente ruim que quer enganar menina Fae.

Taryna: Não é bem assim minha querida, não dá para confiar na sorte e nem na maldade alheia!

N: Taryna, antes de N morrer ela leva logo é mil com ela. Menina Fae disse que tinha que encontrar umas velharias dela para trocar por esse tal de tidoto que cura veneno!
N lembra que depois desse fuzuê todo, fomos pela cidade tentar comprar uns bagulhos. Mas depois de andar, todo mundo já tava bagaço de gente e voltou todo mundo pro pônei que saltita!

Quando nois chegou lá, dessa vez N já foi logo pedindo água pra curar ressecaiada dos beberrões do grupo, Nanoc e Andor!
Parece que Hasenka é o único que tem miolo, tá lá sempre pensativo e bizoiando tudo! Lá no buteco do satitante cavalo tinha uma moça estranha sabe, parecia que já tinha bebido todas, falava alto com o taberneiro que tava dando cachaça pra ela! N achar que moça não tava satisfeita não!
Até que moço da taberna apontou o dedo pra nois e disse a moça doida: São esses ai, que você procurava, Aidi!

Taryna: E como era essa moça N? E o que ela queria com vocês!

N: Ah sei dizer muita coisa não, mas moça ser bem estranha, não dá para N confiar em moça não! Ela parece bem ser daquele povo que já chega mandando e ainda quer que a coisa fique bem como a cara dela, sabe Taryna? N não gostar que ninguém mande em N.

Nanoc e Andor que são todos dados para um rabo de saia, foram logo querendo pegar a moça maluca. Menina Fae, num gostou nem um pouco dessazinha!
Como pode? Moça mal conhece nois e já que impor coisas, só queria falar com líder de grupo de N.

Até que menino Hasenka ficou furioso e tomou frente dizendo que moça tinha que falar com grupo todo.

Taryna: N, eu sei que muitos acham que você é burra, mas Taryna sabe o quanto que N é esperta e percebe as coisas na hora, mas o que esta moça tanto queria com vocês N?

N: Taryna, moça veio com uma conversa muito estranha. E N vai ficar de olhos nela! Moça dizer que grupo tá atrás de ladrão safado! Mas como Taryna? Como moça saber disso? N, não ser inteligente, mas N ser bem esperta nessas armadilhas.

N, até tentou enganar moça dizendo que era tudo coisa do povo que fica mentindo coisas da gente.

Menina Fae, fez uma cara de poucos amigos pra essa moça estranha! Essazinha que apareceu dos quintos fez Fae ficar bastante irritada... Principalmente quando disse que Fae tava precisando dar umas trepadinhas pra parar o nervoso!

Muiézinha abusada essa. Se viesse com gracinha mais uma vez, N cortava cabeça de mocréia ao meio!

Menina Fae, começou a perguntar moça pra entender o que ela queria com nois! Moça disse que um tal de filho da mãe tinha roubado ela! E que tava querendo tomar de volta o que era dela!

N achar que moça diz muito e não diz nada, que fica de conversinha besta pra enganar grupo. Quando N percebeu que menina Fae, já estava impaciente, mandou logo ela desembuchar e dizer a verdade, antes que N tirasse tripas de estranha!

Moça estranha veio dizendo pra Fae que um tal de misturador tinha roubado ela, e disse que tinha roubado a gente também! Mas N nem conhece essa tal de misturador, e N não lembra de ter sido roubada por misturador!

Nanoquinho até ser esperto e mandou moça catar puliça pra caçar coisas de moça!
Mas menina Fae ficar com pulga atrás da zoreia e colocar moça na parede pra saber o que moça tava querendo de nois!

Affffffffffsssss... Que isso deixa N irritada! Moça dizer que não pode falar nada, e moça não poder contar fontes pra grupo,e moça toda cheia do segredinho! Se moça não querer se abrir com grupo, N achar que moça não merece confiança do grupo!

Quando menina Fae ameaçou dizendo pra moça Aidi que não poderia se juntar com grupo. Ela resolveu dizer de um tal de Senhor Ká, e que tinha como pegar fonte segura pra Fae! Moça dizer pra Fae que saber onde homi ladrão se escondia, mas que precisava de grupo para pegar ele.

Menina Fae ser bastante esperta, e já ia tirando moça de tempo, até que moça contou uma história meio doida de que Fae tinha uma pequena Fae Mien.

Taryna: Então quer dizer que Fae Mien tem uma filha? É isso?
N: Moça não falar nada em Fae ter filhote ... Pode ser filhote de cachorro, de urso, de alufante...

Mas menina Fae, pareceu vara verde depois do que moça falou e mudou de idéia pra ajudar moça. Mas se moça quisesse ficar com grupo devia fazer um teste de Fae!

Taryna: E como foi esse teste N?

N: Menina Fae tirou uma muamba da bolsa e fez moça Aidi jurar umas coisas para não perder a vida! Se moça mentir, moça morrer, assim disse Fae!

Moça parecer bem confiante dizendo que não tinha medo de menina Fae! Espia só? Quanta petulância dessa mocreia megera? N achar que ela dizer isso porque não conhecer menina Fae direito.

Menina Fae dizer pra moça colocar mãos dentro do baú e deveria falar verdade para Fae, se não baú matar moça Aidi!

Muie parecer bem confiante pra aceitar brincadeira de magia de menina Fae.

Taryna: Hum, muito articulosa essa Fae, muito difícil alguém colocar ela pra trás. E o que Fae Mien perguntou pra ela?

N: É sim Taryna, menina Fae ser muito esperta, um dia N ser assim, igual menina Fae! E então, menina Fae falou se moça ser fiel ao grupo e se vai ajudar a pegar coisas de volta! Moça parece dizer verdade pra grupo, já que caixa não engoliu e nem matou moça!

Fae perguntou se grupo querer moça! N não querer, mas moça dizer que é excelente madra (Clériga) de guerra, então deve ajudar em briga, já que tinha uma arma grandona que N não saber dizer nome.

Taryna: Tá N, mas e qual foi a decisão do grupo? Vocês não acharam arriscado demais carregar uma pessoa estranha no grupo? Estou começando a me preocupar com vocês!

N: N também dizer isso pra Fae, mas ela ser muito teimosa, vive dizendo que prefere inimigo embaixo de nariz! N achar que colocar inimigo dentro de nariz é coisa difícil, deve doer! Mas grupo todo concordou que moça ficasse, mas se vacilar com grupo não vai restar nem cabelo de suvaco fedido de moça!
Falando em fedido, N bem percebeu o olhar de safadeza pra cima de Andor! Menino Andor até perguntou pra moça se ele estava sujo. Taryna nem imagina o que essa desavergonhada disse para ele!

Taryna: KKKKKKKKKKKKKKKkkkk... O minha N, não seja exagerada!

N: Mas Taryna, N não ser exagerada, to falando, moça disse que talvez desse banho em Andor quando ser di noite! Mas claro que menina Fae ser ciumenta com grupo e não deixou e ameaçou garota Aidi!

Um cara estranho de arco até veio pra cima de N tentar cantar ela! Mas N é muié séria, não dá trela pra cafajeste não!

A minha galera foi saindo do buteco do sartitante , e N correu do homi pra seguir grupo!

Taryna: Homens! Nunca podemos confiar neles! E para onde você foi com seus amigos?

N: Ah, nois foi seguindo pro lado dos matos. Menina Fae disse que era praqueles rumos...A gente até caminhou um bucadinho até que veio uns dimonhos pra cima da gente!

Taryna, você precisava ver, era tudo coisa do dimonio! Cada um mais estranho que o outro!

Tarina: E como eles eram? Eu nem me preocupo você é tão forte e seu grupo trabalha muito bem, devem ter tirado de letra isso!

N: Ah N ficou bem abismada com aquelas coisas do capeta! Eu só não sei dizer o que era de verdade, não sei se era rato porque tinha pernas de ganso! Ai depois veio uma tartaruga que não era tartaruga porque tinha cabeça de vaca! Bem que podia ter cabeça de tartaruga e corpo de vaca pra N tomar leite depois!

N ficou pensando que Aidi, não traz boa sorte pra grupo! Só foi ficar com grupo, que logo veio obras do dimonio atrapalhar grupo!

Nois caminhou um pouco mais, até um lugar de pedra alta! Tinha mais bixos do capeta por lá! Fae achar que é coisa do homi que estamos procurando, ela dizer pra gente que homi mistura animais pra criar monstro. Menino Hasenka dizer pra Fae que aquilo era coisa de magia, pra N aquilo é coisa do capeta mesmo!

N viu Andor querendo falar com um cachorro misturado num macaco, ma não deu certo não! Menina Fae tropeçou e caiu em cima de menino Andor! Ainda bem que não teve a cabeça lascada!

Menino Andor tava sem sorte, o tal de macaco au au, não gostar de Andor ficar caçoando e lascou uma dentada nele!

N acha que tinha uns 3 desses! Mas nanoquinho ser dos meus, já foi logo metendo machadão em macaco au au! Mas não teve jeito, os danado tava tudo com o capeta no coro e querendo atacar todo mundo! Um pegou Andor de novo e o outro pegou Nanoc!

Mas a Aidi aproveitou distração de macaco e meteu arma na cabeça do danado! É até que ela ser bem fortinha, mas ainda não chegar nem perto da força de N!

Foi uma bagunça só Taryna, Fae que tava em cima de Andor e não conseguia sair, N até pensar que ela tava gostando da coisa! E era Nanoquinho mordido por Macaco au au, Hasenkar tentava mas não conseguia... Até N, quase solta machadão tentando matar o bixão!

N é fã de nanoc, Taryna! Ele matou um dos bixões! Mas veio outro pra cima de N e de Aidi!Que raiva mordeu N e Aidi e N não gostar de ser mordida!

Menina Fae e Andor resolveram se desgrudar! Andor tava tão bravo que atacou um dos dimonios!

N ficar muito brava com quem machuca amigos de N! Com uma machadada N terminou de matar um dos bixo e ainda feriu outro! N é demais!

Um bixão foi com tanta força pra cima de Nanoc que deixou ele muito bravo! E quando Nanoc fica bravooooo, fudeu pra todos amigos de N! Nanoquinho achar até que amigos são bixo também!

A coisa ficou feia pra todo mundo Taryna, mas nois ter sorte que Nanoc parou de ficar furioso depois de ter quase matado menino Andor e grupo deu conta do recado e mandou tudo pros quintos dos infernos

Taryna: Imagino o quanto tenha sido difícil para vocês! E muito me preocupa saber que você está correndo perigo... Eu acho que isso foi só um aviso do que ainda irá acontecer com vocês! Deve ter muita gente por trás disso. Mas e essa tal de Aidi que você diz, ela é clériga, é isso que você quis dizer né? Ela fez alguma coisa para ajudar vocês já que estavam todos feridos?

N: Ah sim, essa madra foi gente boa curou nois tudo! Mas , N ainda não confiar nela. Ela que fique esperta, se não N mandar ela para os quintos pra morar nos infernos juntinho com bixo mal! Bem amiga Taryna, acho que é isso, depois N contar mais babado pra Taryna!

Taryna: Muito obrigada minha querida N, tome cuidado com esta nova integrante, você tem uma missão de cuidar do grupo enquanto Shynka resolve outras missões!


E assim termina o “breve diálogo entre Taryna e N....
[/B][B][COLOR=red]
 [PM]
 [Go to Top]
Andor Yorec
Posted: Feb 19 2012, 10:58 PM
 [Quote Post]


Novato
*

Group: Members
Posts: 18
Member No.: 34
Joined: 7-July 11



Depois de uma caminhada pelo inferno, a floresta, até a entrada da caverna, depois de quase morrer por causa da loucura assassina do amigo verde e de Fae ser ferida acidentalmente por minha espada (claro que no sentido literal e sem menor culpa de minha parte hehehe), finalmente encontramos o buraco onde o maluco se esconde.

Haíde estava passando mal e acabou por desmaiar. N parece não gostar dela, queria servi-la às aberrações da caverna! Hahahaha... Eu sugeri que o amigo verde levasse a gostosa no ombro como um saco de batatas (ele provavelmente ia aproveita para alisar algo... hehehe), mas Fae disse que isso poderia nos por em risco e que era melhor deixar Haíde escondida... Bem, não sabíamos o que encontraríamos na caverna, ele tinha razão. Amigo verde tentou acordar a gostosa, mas não deu. Brincando (ou não, hahaha) sugeri que ele tentasse acordar ela com um beijo tongue.gif … Não é que ele tentou umas duas vezes?! O.O hahahahahahah XD

Me ofereci para tirar as roupas dela a fim do feiticeiro Haisenkar “analisar” o problema dela huhuhu... Mas meu jeito solícito foi ignorado... Pena... Pena mesmo T.T. Só posso imaginar mesmo! Hahahahaha

Eu que pensava em fazer isso, depois de ver a gostosa babada pelo amigo verde desisti hehehe. Fae ficou irritada e já queria que todos voltassem a se concentrar na missão. Concentrar como? Sou um mercenário! E não vou receber grana pelo trabalho ¬¬ E to envenenado ¬¬ … Enfim, tenho de curtir meus últimos momentos hahahaha tongue.gif Maldito sortudo amigo verde XD. Discutiram a respeito dela ser deixada inconsciente para trás e ser comida por bichos... Que bichos sortudos! Hehehe

Bom, amigo verde a escondeu em uns arbustos, jogou folhas e galhos por cima. Então, Fae, liderando o grupo, nos guiou para dentro da caverna. Lugar ruim de se morar. Paredes cobertas de limo ou seja lá o que for, escura e lotada de bolas de pelos com dentes e cobras com pinças O.o.

Logo no início eu estava inspirado, golpes certeiros e limpos, tão rápidos que eu não via a lâmina de Iceberg. Ice... hahaha a rabugenta já estava a reclamar da falta de graça de matar as bolas de pelos, mas fazer o quê? Só tinha isso. Amigo verde, N e Fae também estavam em ótima forma, mesmo envenenados...

Foi então que me empolguei em um dos giros e acabei acertando o amigo verde em meu ponto cego, num giro maluco. Pensei: “Ferrou, o amigo verde agora vai ficar doidão, vamos nos matar!”. Mas ele não perdeu o controle e continuou no combate só resmungando. Aí ele me atinge com o machado dele ¬¬ Acho que foi de propósito para se vingar... Nah, amigo verde não tem essa malícia... Espero heheh

A caverna era bem escura, então Fae pegou a lanterna na mochila de Nanoc, que ela agora carrega. Assim ela se tornou a fonte de luz do grupo. Ela tratou especificar a seguinte formação para explorarmos a caverna: N, eu e amigo verde na frente, ela e Haisenkar atrás. Realmente, Haisenkar não parece do tipo que aguenta porradas heheh

Haisenkar começou muito mal. Comecei questionar a competência dele em manejar aquela agulha que ele chama de espada. Me surpreendeu que ele sabia também lançar um raio roxo/negro. Me surpreendeu mais ainda quando conseguiu acertar uma bola de pelos depois de tentar tanto hahahaha XD Mas que diabos ele é, não faço a menor ideia. Só sei que ele é bem útil, consegue perceber a condição de saúde dos companheiros, enxerga no escuro, que ajudou muito e detecta o mojo hahaha.

Fomos encontrando pedras com imagens dentro delas... Pedras não, gemas, com magia, algum tipo de magia. Fae e Haisenkar analisaram as pedras. Juntando as informações de ambos, percebemos que se tratavam de chaves para uma “Porta” que encontramos no caminho também, provavelmente onde o doidão estaria nos aguardando. Curioso para falar com esse maluco e ver se tiro alguma vantagem... hehehe To com umas ideias que seriam bem interessantes hahahaha Jogar lenha na fogueira! Tem algo mais divertido?

Prosseguimos pela caverna em busca das chaves e enfrentando essas criaturas irritantes... Seguimos o procedimento de matar as coisas, Fae procurava e desarmava armadilhas. Em uma das pedra/chave que encontramos, Fae foi desarmar uma armadilha e foi surpreendida por uma segunda armadilha. Imediatamente começou a enfraquecer. Haisenkar se aproximou, observou Fae e chegou à conclusão que era veneno (o que eu achei meio óbvio...). Então, ele mordeu o braço de Fae para tentar sugar o veneno e diminuir os efeitos deste nela. Só que ele engoliu! ¬¬ Sério, quem engole veneno assim?! Talvez ele não tava ligando porque todos já estavam envenenados, sei lá. Ele começou a passar mal e teimava dizendo que tava tudo bem. Beleza, se ele diz, deixa ele, eu pensei hahahaha. Mas Fae enfiou seus dedos (opa, opa) goela a baixo (ahhhh taaaa XD) de Haisenkar e induziu o vômito. Isso provavelmente salvou a vida dele.

Novamente, em outra pedra/chave, Fae se apressou pegando um desvio e deixou eu e Haisenkar no escuro. Eu não enxergo no escuro, mas parece que ninguém se lembra disso. Haisenkar teve de me guiar para que eu pudesse sair da escuridão onde estava vulnerável. Escuto uns gritos onde a Fae foi... Corro para lá. Ela estava sendo atacada por serpentes com... pinças? O.o Mas N e Nanoc estavam lá, lutando contra eles. N girou seu machado flamejando matando uma das aberrações e atingiu Fae, jogando-a na parede no mesmo movimento! Mas que diabos! Estávamos nos matando ¬¬ Se eu não conhecesse N teria ficado fulo e possívelmente entrado em combate... Mas como sei que não foi proposital, fui logo checar Fae.

Os ferimentos dela foram profundos. Ela queria desarmar a armadilha, mas seria muito perigoso com ela daquele jeito. Lembrei dos espinhos prateados que curam. Insisti para ela usá-los... Ela disse para eu fazer isso e com isso ver se eu queria bem ou mal a ela, já que os espinhos podem curar ou ferir. Odeio depender da sorte, não ando com muita ultimamente. Mas sabe como é, nada como um pouco de suspense... Fiquei nervoso, não queria feri-la, já estava muito ferida. Haíde deveria estar lá para curá-la, N até achou que tudo fazia parte de um plano dela para ferrar nosso grupo... Bem, se eu realmente quero fazer isso, tenho de assumir os riscos e aguentar o tranco, minha vida sempre foi isso. Pensando assim, usei o espinho. Ele curou biggrin.gif (sou foda). Fae disse que isso provava que eu me preocupava com ela (que presunçosa hahahaha). E disse que para tirar qualquer dúvida, deveria usar novamente. Uma coisa que aprendi: a sorte é como uma prostituta, não é leal a ninguém. Mas realmente, Fae precisava ainda de cuidados. Eu estava lá para me ferrar mesmo... não é? Sei lá. Usei o espinho... E ele curou novamente! Hahahaha (sou MUITO foda! cool.gif ).

Fae sorriu... Fiquei perdido, fora do tempo por alguns segundos... Depois fui reparar que já tinha feito o que deveria e ainda segurava o braço dela enquanto encarava. Soltei. Ela foi desarmar as armadilhas. Eu estava... como o fdp do tutor dizia? “Enervado”, isso. Eu estava enervado. Então, Fae apontou frestas na parede dizendo que lâminas poderiam sair de lá e todos deveriam se afastar. Todos se afastaram, menos eu. Peguei meu escudo e me posicionei na diagonal. Se as lâminas saíssem eu tentaria interpor meu escudo seguido de meu corpo.

Mas Fae conseguiu desabilitar todas as lâminas e pegou a pedra sem problemas. Prosseguimos e novamente nos demos com as bolas de pelos... Estavam dando nos nervos já ¬¬. Amigo verde correu para uma bola de pelo que estava em um beco. A matou em um instante, N falando em churrasco dessas coisas hahahah. Foi quando o amigo verde viu algo na parede se mover, algo estranho...


--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
Haisenkar
Posted: Mar 31 2012, 01:54 PM
 [Quote Post]


Calouro
*

Group: Members
Posts: 2
Member No.: 44
Joined: 29-March 12



Alguns anos se passaram desde que deixei minha antiga vida e tentei recomeçar... O suficiente, talvez, para que começasse a acreditar que não teria mais de usar minha maldição de forma tão extrema. Capturado por metamorfos e obrigado a usar meus poderes e conhecimentos para despertar um artefato mágico que traria de volta seus companheiros falecidos. Por mais que eu advertisse a tolice... Mas já não mais importa. O que importa é que nesse episódio, encontrei um grupo de aventureiros que de alguma forma me fizeram sentir algo... não sei bem ao certo o que é... mas qualquer coisa que me fizer recuperar os sentimentos perdidos quando cumpri o ritual é digna da minha atenção, então juntei-me ao grupo.

Após a revelação de que estavamos todos envenenados e que tinhamos uma chance de obter um antídoto recuperando alguns artefatos em posse de um poderoso mago conhecido como "Quimerizador", fomos até seu paradeiro. Surpreendidos por muitas de suas criações tinhamos superado todos os seus desafios até que inesperadamente a caverna começou a tremer. Nanoc, o meio orc, após se atirar descuidadamente em um corredor escuro e abater as cegas uma das aberrações, foi surpreendido por um vulto de forma semi humana que perguntava por Toryn e Shinka, nomes que pareciam ser familiares a todo o grupo. Faemien desconfiava serem inimigos do tal Shinka e queria avisa-lo de alguma forma.

Após abatermos todas as criaturas que nos interceptavam no momento, Faemien tira de sua mochila um papel, escreve e da um beijo no papel antes de embrulha-lo em um pequena pedra e colocar em uma bolsa. estranho gesto... talvez um gatilho para um feitiço?...

A forma sombria já havia desaparecido e Nanoc usava a parede para aliviar-se de suas necessidades fisicas de evacuação, interessante como hábitos socialmente aceitáveis parecem por muitas vezes passar desapercebidos por Nanoc mesmo vivendo um bom tempo com o grupo. Faemien pediu que analiza-se a parede. Qualquer vestigio mágico advindas da forma sombria não estavam mais presentes, embora a parede revelar-se mais uma portadora de uma das pedras chave. Enquanto Nanoc e Andor discutiam sobre as tarefas que eu desempenhava no grupo, acabei por me destrair e não dei a devida atenção a volta do pequeno artefato e descuidadamente deixei-me por ser pego em uma armadilha que paralizou minha mão esquerda. Faemiem pareceu não gostar de meu gesto, mas demonstrava se preocupar de alguma forma comigo... talvez com as menores chances de termos sucesso caso haja alguma baixa.Usando suas habilidades Faemien consegue recuperar a pedra em segurança

Analizando toda a situação parece que este poderoso mago sente-se atraido por jogos... desafios e venenos mais letais poderiam ter sido usados até agora, mas seus métodos são muito mais indiretos. Penso que o veneno que agora reside em meu braço pode ser um mero paralizante para que suas criações possam se alimentar de suas vítimas ainda frescas.

Andor mais uma vez se referia a mim como um bruxo, alguma coisa me incomoda com essa alcunha, talvez uma série de conceitos que trazia junto comigo antes de perder parte de minha alma. Mas esse confronto é exatamente o que tenho procurado nesse grupo. Andor comentou também que se as coisas piorassem o melhor a fazer seria amputar meu braço. Uma solução razoável, exceto pela observação de não ter uso pra um braço. Perder a versatilidade de duas mãos reduziria em 23,78% minha eficiencia, mais sábio mante-lo até que encontre uma outra saida.

N chama nossa atenção para uma porta de pedra maciça com 3 buracos esféricos nela e um simbolo de linhas paralelas onduladas. Curioso como N parecia gostar da situação apesar de estar lutando pela sua vida e de seus companheiros, nada parecia ser diferente para ela. Nesse momento viamos mais uma fonte de luz a frente enquanto eramos cercados por mais criaturas, abrimos caminho até lá. Famien parecia ter pressa, mas o grupo ainda tinha que lidar com os montros. assim que tivemos chance, Eu, Andor e Nanoc Corremos atrás de Faemien.

Encontramos um jovem lutando contra as criaturas ele tinha se livrado de muitos, e uma de suas espadas era a fonte de luz forte que viamos. Ao terminar de matar todos os oponentes, ele dizia procurar pela irma de Toryn, Faemien se revela sendo essa pessoa. Faemien, como usual, não se demonstra amistosa para o jovem que dizia se chamar Odrael, que veio nos ajudar a pedido de Toryn e que Faemien havia sido enganada por alguem com o nome de Melody e que estávamos presos naquele lugar. Nesse instante reparei que N não tinha nos acompanhado e que ela não podia ver no escuro. Alertado, o grupo volta em socorro da bárbara que lutava sozinha contra muitas aberrações. Nessa luta, algo estranho acontece.... Perco o controle de minha rajada e ela explode para todas as direções, talvez o veneno esteja fazendo efeito, ou seja mais uma das complicações que ocorrem quando minha maldição evolui, de qualquer forma o desastre foi minimizado por termos apenas baixas inimigas e recebemos um auxilido de cura de itens que Faemien carrega, ela possui um arsenal invejável de itens mágicos extremamente poderosos, curioso... Ao fim do combate, achamos mais uma porta, com 2 encaixes esféricos.

Odraell nos explicou melhor sobre o que viera fazer aqui, que era marido da princesa élfica Arwen e que veio nos ajudar em troca da ajuda de Toryn e que, Faemien tinha sido enganada pelo poder de mudar de forma de Melody, que parecia tam,bém ser conhecida por ela. Odrael pede ajuda a Faemien para que envie um recadoi a Toryn. Nesse momento percebi outro item poderoso que ela tinha, além de poder passar mensagens podia também tranportar itens.

Andor achou uma luva, um item mágico no chao, emanava uma aura divina e Faemien indicava que antes de abrirmos as portas deviamos procurar por todos os caminhos jah abertos. Ela demonstrava-se estar irritada e quando Odrael perguntava sobre quem era o chefe do grupo, ela dizia que não seria mais ela. Não entendo popr que um grupo como esse faz tanta querstão por esse tipo de hierarquia, até onde vejo não fazem parte de nehuma ordem militar ou para militar, e até onde eu saiba não lutam por uma causa que demandasse tal organização. Acho que é melhor observa-los mais.

Mais monstros diferentes são vistos a frente. Em volta de um lago suspeito, ao observar mais atentamente vimos uma pedra brilhando no fundo. Após acabarmos com os montros, Faemien recuperou uma pedra na parede da caverna e discutiamos como pegariamos a pedra no lago, visto que após um teste promário colocando a ponta da adaga na água ela começava a ficar negra em volta. Odrael ousa a por a mão com sua luva na água e após ser indagado sobre os efeitos Faemien usa mais um item mágico para aumentar suas habilidades e se atira ná agua.






--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
Haisenkar
Posted: Mar 31 2012, 01:56 PM
 [Quote Post]


Calouro
*

Group: Members
Posts: 2
Member No.: 44
Joined: 29-March 12



Sem deixar tempo para nada dizer, Faemien saltou no pequeno lago em busca da pedra, confiante que seus instintos a levariam até o artefato e atrariam de volta em segurança a margem. Parece que ela superestimou suas habilidades e visivelmente estava encontrando problemas para achar a pedra. Andor parecia muito nervoso e preocupado com a situação, algo notóriamente estranho de se ver, até mesmo seu artefato inteligente, que o acompanha a mais tempo, duvidava de sua sinceridade. Odrael preparava sua corda para ajudar caso Faemien precisasse de alguma ajuda enquanto Andor tirava sua armadura para nadar se preciso. O que se tornou verdadeiro. Ao ver que Faemien se perdera e não conseguia voltar, Andor saltou em resgate com a corda de Odrael amarrada a cintura, permitindo que ele, N e Nanock pudessem puxar os dois de volta a terra.

Ainda enfraquecida pelo esforço, Faemien reclamava de ter sido puxada, dizendo que tinha quase completado seu intento, palavras que ela mesma não acreditava arriscaria dizer. Ela queria voltar e Andor queria ir em seu lugar. Ao comprovar que a água não representava riscos tracei meus caminhos até o objeto mágico mentalmente... Teleportei-me para perto da pedra e voltei para margem novamente em seguida, o grupo ainda discutia como fazer para pega-la. A reação não foi a que esperava... Imaginava que o grupo ficaria satisfeito com a pedra em mãos, mas pareciam indignados com meus atos. Nunca havia tido necessidade de usar poderes como aqueles até o momento. Ainda me chamavam de bruxo e ainda não me sinto bem com isso. Andor vestiu novamente sua armadura e entregou a luva mágica para Faemien, que estranhamente pareceu sentir-se atraida em demasia pelo poder do ítem. Andor também sentiu o exagero e os olhares estranhos dela, e, desconfiado, a pressionou até q entregassse novamente a luva a ele. Houve uma grande tensão entre o grupo, Faemien entregou a luva mágica após muita resistencia sentindo-se ulrajada por uma suposta falta de confiança dos companheiros nela. De fato a luva não pareceu subverter o comportamento de nehum dos outros que a tocou e a mesma possuia uma aura divina.

Andor, N e Nanoc continuaram a discutir sobre confiança com Faemien. Evento intrigante... Lembrei-me da insistencia de Faemien em delegar a função de lider para alguem, de alguma forma, ela párecia estar testando seus companheiros e provavelmente não teve como resposta as reações que esperava. A conversa foi interrompida por mais criaturas.

A essa altura, Odrael, mesmo sem poder ouvir as palavras, percebia a tensão entre o grupo e discretamente demonstrou-se preocupado por seu próprio destino. Encontramos mais criaturas que guardavam mais uma das chaves. Odrael se mostrou de grande utilidade, pois além de possuir agilidade invejável, iluminava o campo de batalha para Andor, N e Faemien. Enquanto Faemien continuava infalível em livrar o grupo das maliciosas armadilhas do Quimerizador.

Tinhamos agora sete pedras: Ameba, Gato, Minhoca, Peixe, Sapo, Homem e Trevo de Quatro folhas. E tinhamos duas portas para usar. Incertos das consequencias de falsas combinações analizamos bem nossas escolhas. De certo modo era dificil se concentrar enquanto Faemien continuava a insistir em perguntas e cobranças relacionadas a liderança, feitas a mim. Não tenho nenhum interesse em algo tão irrelevantes

Decidimos por usar Ameba,Peixe,sapo e minhoca, associando-os a água pelos ruidos e desenhos do portal. Felizmente estavamos certos e a passagem se abriu a nossa frente, revelando mais criaturas que mostraram-se mais guardiões de mais uma chave. N pareceu perder o controle, e após abater alguns monstros ameaçava seus aliados, Faemien alerta a N, que vbolta a si, mas a Leoa, como Sandor gosta de chamar, parecia se sentir fraca, como se tivesse feito algum esforço exagerado.

Nesse momento Faemien volta a se comportar da sua forma usual, dizendo que o grupo não era nada sem ela na liderança. Fico aliviado de que ela finalmente sinta-se satisfeita com su titulo, apesar de não entender o que significa em nossa condição. Para ser sincero... Acho que senti alguma coisa... não sei ao certo o que... mas pareceu ser positivo...

Apos confrontar-mos novamente com a segunda porta, julgamos que alguma peça faltava para solucionar o próximo enigma. Mais uma provocação vinda de Faemien me levou a diretamente perguntar se ela tinha algo contra minha entrada no grupo. Ela não disse nada, apenas sorriu... Não compreendi... Mas outras preocupações nos exigem concentração... a mais alarmante no momento é o uma estranha voz que gargalhava e perguntava: "CADE TORYN E SHINKA?"


--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
Andor Yorec
Posted: Apr 1 2012, 01:04 AM
 [Quote Post]


Novato
*

Group: Members
Posts: 18
Member No.: 34
Joined: 7-July 11



Não fosse a questão de morrermos envenenados, ou melhor, morrermos miseravelmente envenenados em horas, eu já teria perdido a noção do tempo nesse buraco que um mago louco chama de esconderijo. Nossa saída bloqueada – não faz mal mesmo, estamos sem escolha e precisamos matar o maluco para deixar o mané que nos envenenou feliz – , andando de um lado para o outro catando pedrinhas com imagens, com finalidade de abrir incontáveis portas protegidas por enigmas... Claro, temos tempo de sobra, ninguém tá se importando com o tempo, meh...

Bom, seria um passeio quase agradável, desconsiderando o veneno, se não fossem as aberrações que encontramos nesse buraco. Criaturas “misturadas” resultando em bizarrices. Esse mago, nosso alvo, realmente é doido. Tem algum probleminha... hahahahah Deve ser interessante conversar com ele. Talvez ele nos contrate para matar o Crimson, até nos cure, quem sabe hehehe... Fico pensando nisso, na vontade de chutar a bunda daquele fresco... rolleyes.gif Mas isso é fantasiar demais. Melhor esperar um velho gagá, pirado, nos atacando à primeira vista. Que pena.

Mosquitos misturados com jacarés, cobras misturadas com caranguejos, cobras com coelhos, cachorros com sapos... É muito bizarro... Mas é de carne e osso, sangra, posso matar cool.gif hahahah

Bem, me perdendo aqui nos pensamentos.... Fae foi na frente em um dos corredores não explorados da caverna, procurando armadilhas para salvaguardar o grupo. Fui seguindo de perto, algo me dizia que ela estaria em perigo (se bem que só por estar na caverna já é um perigo heheh). Logo que dobramos a esquina, Fae foi atacada por um cachorro com cabeça de sapo! blink.gif Ele mordeu o braço delicado da Leoa. Fiquei puto. Muito puto angry.gif Senti meus dedos estalando quando se cerravam no cabo de Ice. Aquele bicho ia morrer. Ah, se ia. Inspirei ar, tensionei cada fibra de meu corpo e desferi dois violentos golpes: de cima para baixo, de baixo para cima. O primeiro já acabara com a criatura, praticamente partindo-a em dois, só uma faixa de pele mantendo os pedaços juntos. Senti a espinha da aberração se partir no impacto da Ice... ^ ^

Leoa agradeceu, logo apareceu outra porra daquela. *Lembrando-se das reprimendas do tutor* unsure.gif Hm... apareceu outra criatura maligna com intenção de me ferir. Errou. O garoto, elfo, saltitante, falador, firulento... *Novas lembranças* ...Acrobata, saltou para trás da criatura e desferiu um golpe certeiro que fez a criatura ingerir o próprio veneno, desmaiando. Fae logo arrancou a cabeça de sapo, embebendo suas katars com veneno e sangue. Ficou admirando as lâminas envenenadas com o líquido viscoso do inimigo... Que mulher! Heheheh ^ ^

Outra curva para direita... Fae é atacada e mordida, nem tive tempo de me interpor entre ela a criatura... A Leoa caiu inconsciente pelo veneno desta vez... Fiquei puto de novo, mas antes de mim, o bruxo jogou um raio roxo (achei muito estilo de bruxA isso... hahahah cool.gif ) no inimigo, mas este não caiu (como eu já esperava). Foi então a vez do amigo verde. Ele se expôs a um golpe oportunista do sapochorro e logo acertou uma machadada. Foi mais efetiva que o raio roxo do bruxo, mas ainda não foi suficiente para matá-lo. N então se adiantou ávida para matar (me pergunto como ela pode ser mais sedenta de sangue que um meio-orc bárbaro... Vai saber... Acho que nem quero saber heheh). Ela deu o golpe final na criatura com seu machado flamejante no mesmo ponto que o amigo verde o atingira.

A Leoa inconsciente parecia estar dormindo... Acho que vi até baba escorrendo ali hahahahaha tongue.gif Mas não sei, até nisso tem um charme nela... Hm... Acho que to ficando doente. Nada bom. Na próxima taverna me curo, nada como uns canecos de cerva forte e umas mulheres fáceis! huh.gif *Se lembra da última taverna* - - …....................................................

Enfim, o bruxo a acordou com água, dizendo que ajudava a combater o veneno, numa pose de: “eu tenho o elixir” < < Se fosse só dar água até os N's faziam isso. Fae acordou, parecia meio grogue, mas logo se recuperou. Rapidamente foi checar uma pedra no fim do corredor. Achou uma armadilha. Deu uma risada. Quando foi fazer o truque dela, algo deu errado. Muito errado. Um líquido ácido foi espirrado nela! Ela caiu para trás, logo a amparei usando já a luva de cura. As cicatrizes logo se fecharam e sua bela pele voltou... Mas parecia ainda incomodada... Espero que não seja nada, senão, farei o mago pirado beber ácido...

Nova tentativa de desarmar a armadilha, a Leoa precisava que alguém puxasse a pedra enquanto ela mantinha o aparato travado. O bruxo, todo prestativo, com um braço se ofereceu. Tentou. Nada. Chamaram o amigo verde, mas ele estava distraído com o livro de putar... Hã... Obscenidades que ele tem. Fui lá, arriscar minha pele. Fazer o quê. Cheguei lá, peguei a pedra e fui puxar. Que merda de pedra! Meus dedos escorregando, não conseguia firmeza para arrancar a pedra. N queria tentar e ficou a me menosprezar, querendo tirar a pedra. É, com as “garras” talvez desse para enroscar adequadamente e puxar a pedra. Ao menos eu não correria risco nenhum. Me afastei esperando N se mostrar máscula. Só que o amigo verde queria se mostrar, incomodado com N – acho que rola uma competitividade saudável entre os N's hahahaha laugh.gif – e lá foi o amigo verde. Meteu as mãos na parede sem cerimônias e deu um puxão violento.

Nanoc disse que tinha uma mão segurando a pedra, mas que sumiu logo que ele arrancou esta da parede...Bom, não tinha mais nada para fazer ali. Fae guardou a pedra e fomos para a última porta selada com enigmas... De novo. Outro enigma. Discussão em grupo. Fae esbofeteando o bruxo na cara...

[QUOTE]Na porta parecia que duas tribos lutavam entre si, uma com espadas, outra com lanças, uma usava cavalos, outra a pé, uma usava o brasão de um leão, outra usava escudos com o desenho de um lobo, uma era de mulheres, outra de homens, uma estava desenhada em azul outra em vermelho, uma estava com capacetes outra com botas largas.[\QUOTE]

Eu chutei espada e homem assim como o elfo (um forte indicativo de que eu poderia estar errado). Fae e o bruxo chutaram gato e cachorro. Sinceramente, a espada e o homem fazia mais sentido pelo cenário e por ser uma referência mais precisa às pedras. Tudo bem que o leão e o lobo são felino e canino respectivamente, como um gato e um cão. Mas na imagem tinha uma espada mesmo e um homem... Fiquei surpreso quando as pedras do gato e do cão abriram a porta.

Logo avistamos mais sapochorros ali. Parecendo de guarda aguardando ordens ou algum pedaço de carne ambulante. Fae fez sinal de silêncio. Eu estava sentado, enquanto esperava o grupo decidir algo. Tratei de me levantar com cuidado e tentar me posicionar de forma a pegar qualquer um dos inimigos que tentasse passar pela porta. Fae já tinha essa ideia na mente e orientava os N's. Acabei me pondo no lugar de Nanoc, me antecipando (devia ter deixado o amigo verde, to começando a achar que estou doente mesmo, me expondo a riscos assim sem necessidade < <). Assim, ficou eu e N na frente, bloqueando a passagem, Nanoc atrás com Fae e o bruxo (covarde invisível < <).

O bruxo tinha de abrir a boca. Um dos sapochorros ouviu e começou a se mover em nossa direção. Depois os N's falaram, isso eu já esperava hahahaha. Pronto, tava feito o estrago. Era hora de alimentar a sede de sangue de Iceberg. O primeiro cachorro apareceu. N girou o machado fazendo ele sibilar loucamente, só que o arco saiu estranho e pegou justamente na língua do sapochorro, fazendo o veneno dela espirrar nos olhos do amigo verde... Até aí tive vontade de rir biggrin.gif. Problema que o amigo verde tombou roncando. Tive mais vontade de rir hahahahah. Só que aí, era um a menos para bater naquelas porr... criaturas. N ficou sem jeito querendo recuar! Aonde?! Quem ia ficar no lugar? O garoto saltitante? O bruxo invisível? A Leoa? Sorte que Fae deu um sacode e N resolveu ficar.

Bom, era hora de cortar carne, minha especialidade. Pulverizei o sapochorro com dois golpes que partiram muitos ossos do fdp... quer dizer, do inimigo. “Aço e sangue, assim será” - uma maldita frase de família... Às vezes não consigo evitar de dizê-la. Mas até que é legal hahahah biggrin.gif

O garoto, o elfo saltitante, foi quicando lá no meio do corredor, entre dois dos inimigos... - - É, acho que ele não tem muita noção de tática. Garoto mesmo. Ele foi flanqueado, levou umas na bunda dele. Bom para aprender. Mas, sejamos justos, ele se virou bem.

Fae me espetou com um espinho de uma varinha, me deixando mais ágil, bem mais ágil. Me sentia leve, mais flexível e meu corpo parecia responder melhor à minha mente! To que mágico da Fae hahahaha. O bruxo foi cuidar do amigo verde. N acertou o bicho mas não o derrubou. Não vi a hora descer o aço naquela criatura! Dois golpes, o primeiro acertou a boca da criatura espirrando seu veneno em meu rosto, senti na hora que ia apagar, mas consegui um segundo golpe que partiu a cabeça do maldito, matando-o. Minha visão se escureceu, caí no breu, apaguei.

Eu estava em um local escuro e frio. Sentia uma leve brisa em minha fronte. Olhava ao redor e nada via. Foi quando vi minha cidade natal. A citadela em chamas. Aqueles fdp's queimando as casas, saqueando-as, estuprando mulheres, matando os velhos e homens, prendendo crianças... Um deles me viu, tentei correr dele, senti medo e raiva. Ele estava me alcançando. Não queria perder o que me restou, o martelo, as jóias, o estandarte... Tentei senti-los com minhas mãos para ganhar forças e correr mais... Foi quando senti. O frio. O frio que subia pelos meus dedos, pelos ossos dos meus braços e envolviam meu coração. O frio do assassino, o frio do poder, o frio do impiedoso. Parei de correr e olhei minhas mãos. Estava segurando Iceberg. Já não era mais o garoto fracote. Era um guerreiro, Mão de Ferro, mercenário. Parei e me virei. Agora eu tinha o poder para matar aquele fdp. Sorri. Meu perseguidor avançou com tudo sobre seu cavalo. Apontei Ice e disse: “Freeze”. O cavalo caiu quando uma de suas patas congelou. O cavaleiro caiu de rosto no chão, sendo projetado até meus pés. Ele se virou me encarando com o único olho que podia abrir... Quanta satisfação... Era tanta, que eu podia passar hora ali apreciando o momento... Ele estava tremendo. Provavelmente quebrara um braço, uma costela, além do nariz e face. Girei Iceberg no ar, apontando para o pescoço do desgraçado. Podia ver meu sorriso refletido na lâmina fria azulada de Ice. Era como se Ice sorrisse de volta para mim. Poder. Aquilo era poder sobre a vida de um homem. Fdps, acharam que tinham poder sobre mim? Pois é, sobrevivi, consegui mais poder e agora vou esmagá-los, um por um... O cavaleiro chorava. Fiz Ice penetrar seu pescoço lentamente, vendo o sangue brotar, o homem engasgar, começando a afogar no próprio sangue enquanto se sacudia em convulsões desesperadas... Sua pele ao redor do ferimento ficando pálida e logo azulada. Quando ele parou de se mover. Não pude evitar. “Freeze”. O pescoço dele se congelou. Tirei Ice. Esmigalhei seu pescoço com meu pé. O momento estava próximo, eu podia sentir...

Foi então que senti uma certa ardência no meu rosto. Podia ser a fuligem do incêndio, o calor das labaredas... Mas tinha um perfume também. No meio de tantos odores agressivos, um perfume. Abri os olhos e vi o rosto dela. Um rosto zangado hahahaha wink.gif. Mas não sei, ela zangada fica mais atraente eu acho ahahahahaha tongue.gif “LEVANTA OU CHUTO SEU SACOOOOOOOOOO” - hahah imagina acordar meio desnorteado, ficar deslumbrado com o rosto angelical e ouvir isso? Hahahah completamente surreal... Só ela mesmo mellow.gif Imagine, o conteúdo é precioso! Levantei logo e sacudi minha cabeça para me focar.

Era Fae, tinha me tirado do sono induzido pelo veneno. Hm... parece que ela me apoiara no corpo dela... Ou estou imaginando coisas? Hahah foda-se se for imaginação! Pra mim, aconteceu! cool.gif

Logo que me concentrei no combate, N mata um sapochorro. Não tinha mais nenhum à vista para eu matar e descarregar um pouco da tensão < <. Odrael finalmente recua e pede cura. Fae o acerta na cabeça com seu porrete de cura XD.

O bruxo fala para a Leoa cuidar do Nanoc e se teleporta para sei lá aonde. Cara maluco. Fae ficou fula com o comportamento do bruxo. Logo acordou Nanoc com tapas. N foi correndo adiante querendo matar mais. Nanoc logo a seguiu. Todos ignorando Fae que tentava manter todos seguros... É, bárbaros. Melhor para mim. Deixa os N's lá matando tudo, fico aqui atrás na vida boa... Odrael quis provocar a Leoa, avisei ele que ela era diferente. Acho que a onda sônica que deixou ele parcialmente surdo fez sopa do cérebro dele. Começou a falar de como Fae é emotiva com o grupo que é fachada o jeito dela, assim como eu não sou um mercenário mas um cara bom... Sério, precisamos achar um clérigo para o elfo blink.gif . No meio de um combate, ele vem com essa conversa... Meh, tem doido pra tudo. Logo ele já estava ricocheteando para frente, caçando combate.

Fae ainda quis que eu me adiantasse também, reclamando que os outros não ouviam ela. Aonde que vou deixar o caminho aberto para atacarem ela? E aonde que vou lá me enfiar no meio dos N's, sapochorros, um elfo pirado e um bruxo suicida? Nah, juntemos o útil ao agradável! cool.gif

O bruxo levou porrada de todo lado. Bem feito, o cara se joga lá no meio se achando Elminster, aí leva no meio da fuça mesmo < <. Fae foi tentar ajudá-lo. Odrael saltou, girou no ar e foi espetar um sapochorro com sua espadinha. Errou < <. Tanta firula para nada... Espero que os N's não fiquem malucos no meio disso...

E nem sinal do mago maluco, covarde, filho da put... Quer dizer, sendo profissional: nem sinal do nosso alvo... Espero que consigamos resolver isso antes batermos as botas... Afinal, tenho assuntos pendentes a resolver...


--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
Andor Yorec
Posted: Apr 8 2012, 01:19 AM
 [Quote Post]


Novato
*

Group: Members
Posts: 18
Member No.: 34
Joined: 7-July 11



E ainda na caverna, matando criaturas bisonhas! Isso parece infinito! Acho que o veneno comerá nossa carne antes de conseguirmos falar com o bastardo pirado deste buraco... Éh, a vida. Ao menos aproveitei um bocado dela... hehehe *memórias do passado*

Bom, combate atrás de combate. Foi num dos últimos que senti um estranho frio vindo de Ice e então um espirro. Cobri a boca com a mão, força do hábito, e, para minha surpresa, ela ficou coberta de sangue... Minha hora estava chegando... Mas que sem graça! Eu não queria saber a hora exata de minha morte, não tem graça! A morte deveria ser um momento único, o ápice da surpresa, que assim toda a vida do cara passa por seus olhos em um instante – dizem – e aí você finalmente sabe do que você é feito... Mas não, eu sabia que da hora que fui exposto ao veneno diligentemente com o consentimento da Fae enquanto ela ficava em segurança com Crimson (afinal, ele não envenenaria a própria sala separada... Imagino o que ela planeja... na verdade, não imagino não).

Escondi o sangramento rapidamente. O grupo estava em maus bocados. O mercenário maluco que se joga em combate sem preocupações morrendo, logo o jogariam para trás do grupo. Nada bom. Só uma tossezinha com gotinhas de sangue não são suficientes para abater um maldito mercenário, ainda mais se ele for um Mão de Ferro, ainda mais se ele for um maldito Yorec! Hahahahah

Mas, estou desviando da chacina, e chacina é a parte divertida – quando somos o lado que a executa, claro! Hahahah. Os N's devastadores saíram picotando os sapochorros com ajuda do elfo saltitante. Logo derrubamos as aberrações. E para nossa surpresa... Tcharam! Outra pedrinha chave maldita incrustada na parede... dry.gif Lá foi a Fae novamente, verificar armadilhas e arriscar suas mãos delicadas... Desta vez usou suas adagas, para meu alívio, mas algo deu errado e a armadilha com dentes e prensas, acabou por quebrar uma das adagas de punho. O povo começou a bolar maneiras de tirar a pedra de lá. Fae pediu que eu congelasse os dentes da armadilha para quebrá-los. Sem sucesso. O poder congelante não era suficiente. Discussão.

N sente a boca seca e mal consegue falar... Nanoc passa mal... Somado às minhas tosses com sangue... Era bem óbvio que nosso tempo chegava ao fim.

Me aproximei mais, observei o aparato grotesco. Calculei um balanço usando todo meu corpo... Finalmente meu ofício de alguma utilidade... Poderia estar enferrujado, mas com aço mágico, a Ice, a margem de erro no cálculo seria facilmente compensado... Fechei minhas mãos no cabo da Ice e aspirei o ar. Ela percebeu minhas intenções quando pedi para o garoto das agulhas dar espaço, assim como a leoa. Nanoc passou mal... O Nanoc!... É o veneno. Haha tempo acabando, hora de me apressar.

Foi então que percebemos que o bruxo estava inconsciente. Fae foi ajudá-lo com uns bons tapas para ele acordar. Ele acordou, parecia bem.

Ice começou a choramingar! Hahahaha! Ice choramingando! Espada de gelo... Sei hehehehe Depois dessa, eu realmente queria tentar. Ela me ameaçou ferir com seu ar gélido. Foda-se, não ia deixar Fae se ferir naquela porra de armadilha! Mirei, aspirei o ar, senti cada fibra dos músculos de minhas pernas se retesarem, subindo pelas costas, ombros, braços, até o pescoço e mandíbula. Urrei soltando o ar e girando o quadril junto com o balançar dos braços e ombros. Um tranco violento, com um tinir metálico, uma explosão de ar frio... Fui arremessado vários metros para trás e bati com as costas na parede... Doeu os infernos... Ice ficou presa entre os dentes da armadilha, a pedra voara longe, livre! Hehehe. Depois a armadilha avariada, soltou Ice no chão. Me ergui com falta de ar, achando graça, querendo saber o que Ice diria...

Ela não me decepcionou, estava puta! Hehehehe O elfo saltitante achou graça dela, talvez ele entenda o porque me divirto com ela hahaha. Ele ficou interessado na Ice, dizendo que poderia usá-la se eu morresse ou não a quisesse. Falei que ela tem péssimo gosto e só fica na mão de um maldito Yorec. Ele não acreditou. Ofereci Ice para ele. Ela ameaçou ele e o cara deu para trás! Hahaha Chamou ele ainda de “qualquer um”... Se considerar a Ice, quase um elogio hehehe

Fae com a pedra, foi até a porta. Mas notou que faltava uma pedra-chave ainda. Tossi novamente sentindo o frio que Ice negava ser dela... Escondi o sangue, mas o saltitante falastrão percebeu e começou a apontar dedos... Pft, cara sem falta do que fazer... Disse que tinha cortado a boca quando fui jogado pelo ar frio de Ice. Foi então que Ice comentou algo sobre Tempestade Glacial... Um poder novo que ela estava escondendo... Escondendo ouro ¬¬' Tsc, tsc... Teria de ver isso depois.

Como faltava uma pedra chave, sugeri que fôssemos investigar as passagens que não exploramos, se havia alguma que ficou para trás, ou revisitássemos as outras. Também sugeri que o mais rápido o fizesse. N tentou se oferecer... Meio que se ofereceu para tal tarefa, mas estava com a língua presa... Fae se prontificou. Ela e Odrael sem efeitos do veneno... Como eu suspeitava, ela não estava envenenada... Isso realmente me perturba... Porque deixou de ser uma mera suspeita para confirmação cabal.

Fae, N e eu seguimos pela caverna (não deixaria as duas andando pela caverna). Odrael nos seguiu também. No fim, até mesmo o bruxo veio, deixando o amigo verde sozinho ¬¬

Fomos até a gruta com o lago, Fae achava que estava lá. N bebeu a água do lago O_o. Começamos a procurar. De repente, estou no chão ensopado de água e tossindo água para fora dos pulmões... Já dera para entender o que aconteceu. Ainda mais depois que vi o elmo de Fae no rosto dela. Senti uma raiva enorme. E ainda tem gente que acha que deuses existem e se importam. Podem existir, mas estão cagando e andando para nós. Decidi fingir que nada aconteceu e prossegui na procura da pedra. Odrael, confuso, logo se juntou à busca. Fae explicou o que eu já sabia. Seu rosto ferido pelos espinhos internos do elmo, se curou quando o retirou. Eu tinha dito para ela não usar. Enfim. Tudo pode piorar.

Haisenkar encontrou a pedra no teto. Outro dilema, como retirá-la. Ficamos em círculos. No fim, o mercenário doidão deu ideia para o bruxo usar sua magia e detonar as rochas que prendiam a pedra. Assim ele fez. Um pó venenoso saiu. Fae arremessa sua adaga e consegue arrancar a pedra já frouxa. A pedra cai no lago, Haisenkar faz 11, sim eu disse ONZE tentativas para pegar uma pedra... Para finalmente conseguir.

Não dá para ter certeza se pelo pó venenoso ou pelo uso de sua habilidade, mas Fae ficou com uma deformação em suas costas... Eu acredito que seja o primeiro. Ela ressentiu a deformação nas costas, mas tínhamos de manter o foco, apressei-a. Voltamos para a dita porta. Começara a discutir a ordem das pedras. Fiquei conversando com o saltitante, ao mesmo tempo tentei arrancar mais informação de Ice, mas ela estava “inesperadamente” não cooperante biggrin.gif hahahahah

Fae decidiu uma ordem e colocou as pedras. A ordem estava errada e logo gás venenoso – acho que querem nos derreter com veneno, não é possível dry.gif ' Perdi a consciência.

Quando acordei, junto aos outros, estávamos de pé com os pés presos na rocha. A porta estava aberta e lá estava uma criatura verde, parecida com um humano, bem estranha mesmo, depois de um córrego e uma parede de fogo... Ele veio falando coisas estranhas, algumas sem sentido, outras ridiculamente óbvias até para um ignorante como eu heheh. O cara quer falar de podridão humana para mim?! Hahahahahah Só pode ser brincadeira... biggrin.gif Além do mais, temos um bruxo e dois bárbaros! Ele parecia ser um defensor da natureza... Nah, tava mais para “eu sou melhor que a natureza porque eu melhoro ela e vocês fodem com ela! Eu posso foder com ela e vocês não! Não! Não! Não!”... Coitado. Acho que matá-lo seria um gesto de piedade... Um gesto prazeroso para mim! Hahahahah biggrin.gif

Mas o que realmente chegou perto de me chocar foi descobrir pelo inimigo, que N foi escrava... Pode explicar a cicatriz nas costas dela e seu jeito simplório... O que o poder não faz... Por isso preciso de mais poder, preciso que Ice desembuche seus segredos e assim me garanta poder para não depender daqueles que só me decepcionam... Ser envenenado daquela forma com o consentimento de Fae, sendo que ela usa os poderes para casos menos graves, mas não neste que nos trouxe a esse buraco, só me provou o que a vida vem me mostrando há anos...

Eu já estava matutando a ideia de negociar com o maluco, ele nos curaria e nós matávamos o fdp do Crimson sou-o-cara e qualquer um daquela cidadezinha de merda... Seria um negócio muito interessante, muito louco mesmo! Hahahah Mas o coitado, como eu já previra, estava maluco demais mesmo para qualquer discussão racional... Imagino o que o fez se tornar uma aberração... Ao menos se fosse uma aberração poderosa, mas não, uma aberração desprezível... tsc, tsc...

Decidi comprar tempo falando, assim como Odrael tentava. Enquanto isso verificava se podia escapar da “prisão”. O bruxo poderia, mas ele sozinho contra o maluco não seria boa ideia.

Enfim, o doidão lá enfiou o rabo verde dele entre as pernas e vazou depois de conjurar uma magia estranha: vinhas de luz surgiram em nossos braços e logo nossos corpos mudaram... Nos transformamos em animais! Consiguia pensar claramente, mas incapaz de falar com o corpo de um veado... Eu de veado (que tirando o nome, é bem guerreiro, territorialista e competitivo, combinando com meu estilo heh cool.gif ), Fae de gata (se encaixa perfeitamente à sua pessoa, tanto personalidade quanto aparência hehehe), o bruxo de serpente (será que diz algo? Hahaha), N em porquinha (faz certo sentido...) e Nanoc em um cachorro (também faz certo sentido)...

Apenas Odrael não foi afetado. Agora, o que ele faria para nos ajudar? Envenenados, incapazes de nos comunicar adequadamente e transformados em animais?


--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
N
Posted: Apr 21 2012, 08:13 AM
 [Quote Post]


Calouro
*

Group: Members
Posts: 2
Member No.: 41
Joined: 7-February 12



Muitas coisas estranhas têm acontecido com N e seus amigos. A verdade é que a vida deles está em perigo e o tempo está passando e tudo continua muito incerto. Mas N parece não se preocupar com o veneno, só quer sair de lá e poder voltar a sua rotina de vida.
É certo que hoje ela terá muito que falar para Taryna...

N: Oi taryna, N sentir saudades de você...

Taryna: Taryna também sente muito sua falta N. Eu estou muito preocupada com você e seus amigos...

N: N achar que tem obra do dimônio que tá fazendo grupo ficar estranho. Mas N achar que tudo é culpa da disarvegonhada da Aidi. N bem que sabia que ela querer maldade de gente. Isso só por causa daquele causo de menina Fae ter fi, e Aidi dizer que sabia de coisas que Fae procura...

Taryna: Mas porque você diz isso minha querida??

N: Ah Taryna, aquelazinha ali é obra do capeta mesmo, ela veio com uma conversinha besta de ir com grupo pra dentro da caverna, ai dispois caiu lá na entrada da caverna enfraquecida, só pra dizer que é donzela. N envenenada e não ficar assim de coisinhas...

Taryna: E o que vocês fizeram com a moça? Ela está melhor?

N: Ah, grupo largou aquele estrupício lá na entrada da caverna. Nanoc e Andor queriam papar ela, mas menina Fae não deixou e N achar que se ela não mentiu, já virou comida de bicho mal.

Taryna: Mas N, por mais ruim que ela seja, não merecia ficar largada assim...Alguém poderia ter ficado cuidando dela, enquanto o grupo seguia em frente e fazendo marcas para o retorno dos que ficaram.

N: Ah que seja, mas ainda bem que amigos de N não ser burro e fomos tudo pra caverna da maldição! Menina Fae diz que grupo devia achar coisas lá, mas tinha que ser logo num buraco escuro? N não ter zóios alumientos pro escuro!

Taryna: Então conte-me tudo oque aconteceu lá!

N: Ah Taryna, é uma longa história. N não ser boa pra lembrar coisas, mas N tentar...
Entramos na caverna, feia, suja e escura, enfrentamos muitos bichos feios, cheios de bola de pelo. Cada bicho estranho de corpo trocado!
Até que apareceu um cara estranho, N não gostar muito dele antes, mas agora N até gostar do menino Odrael. Ele até que lutar bem matou muitos bichos ruim.

Taryna: E quem é esse rapaz que surgiu assim do nada?

N: Ele ser amiguinho de Torinho, o irmão da Fae e amigo do menino Shinka, diz menino Odrael que tinha missão de ajudar Fae, foi mandado de Torinho.

Taryna: Ah N, este rapaz então é de confiança, ele vai contribuir muito com o grupo! Mas me diga como eram esses monstros que habitam a caverna?

N: Taryna, N não entender bem coisas que acontecem, só sabe que era urso com corpo de tigre, coelho amisturado com cobra, e cada coisa feita por dimônio, que N não sentir bem lá. Grupo tava brincando de catar pedrinhas. Pedrinhas ser estranha Taryna, toda pedrinha ter um desenho. Coisa de maluco, povo tinha que pegar pedra e colocar em ordem... Era pedrinha de ameba, pedrinha de peixe, pedrinha de sapo...

N só lembra que menina Fae, dizer que falta uma pedra. E nois voltar pra laguinho sujo. N ter tanta sede, boca de N chegar a grudar e voz de N ficar falhando, foi estranho. Foi brincando de beber água nesse lago que N fez tchibum na água, isso porque N ter tanto cuidado. Mas N viva e isso que importa.

Depois de muita procura, até achar pedrinha, menina Fae fez a brincadeira de por pedrinhas em ordem... Mas parece não dar certo dessa vez não! Dispois disso apareceu um coisa ruim que ficou de nheim, nheim, nheim, reclamando de grupo ter matado animal, que não pode fazer isso! Oras, cara chato, achar que ser pai da gente e dar lição de moral? N não gostar desse tipinho folgado não...

Taryna: Mas N, eu sempre disse pra você que devemos lutar pelo que realmente é importante! Não se deve sair atacando o que vem pela frente não!Deve agir no momento certo e em pessoas certas! Mas e depois dessa lição de moral, oque aconteceu? Ele deixou vocês livres?

N : Ah grupo matou para se defender... Não ser culpa nossa! Bicho comer grupo todo se deixasse! Mas Taryna nem sabe o babado maior! Foi todo mundo virado em bicho!
O homi doido fez menino Hasenka virar cobra, até que N achou bem parecido, já que menino Hasenka sempre ser na dele, presta atenção em tudo. Andor virou o viadinho sartitante do grupo, N até achar mais bonito assim! Nanoquinho já ser o cachorrão das muié, acabou virando au, au ! Já menina Fae é metida de nascença agora tá virada na bichana peluda e só faz miar e arranhar o Odrael que foi o único que ficou de boa nessa! Já N, não gostar do que fizeram com N não. N ser tão limpinha e cheirosa e homi fez N virar uma porquinha. Se bem que fiquei uma porquinha muito da charmosa!

Taryna: Mas N, isso não poderia ter acontecido! E este homem onde está?

N: Ah esse encapetado sumiu dentro da caverna. Agora tá só a zueira, é um late-late, um miau,miau, é viadinho que corre e N que quer fucinhar rabo de Nanoc! Acho que homem deixou Odrael de boa pra poder comandar essa zuação toda!
Menino Odrael comunica com gente agora pedindo pra nois balançar rabo e cabeça. Ele até quis que a gente trocasse os bagulhos de menina Fae em troca de vida da gente, pra tirar veneno de sangue nosso!
Onde grupo estava, tinha um monte de bicho estranho Taryna, era uma bagunça de urso e tigre! N achar que grupo ia virar comida desses bichanos! Sorte que tinha um espaço de água que separava grupo deles!
Esse menino Odrael ser bem espertinho, ele pegar coisa fedida de dentro da bolsa e amarrar em corda pra jogar para um bicho. N não saber se era urso ou tigre, era dois em um! Só que essa aberrante não gostar muito não, esnobou comida amarrada em corda. Era ele jogando corda e menina Fae miando e arranhando menino Odrael, N achar que menina Fae tentar falar coisa importante para menino Odrael!
O viadinho do grupo deu um de fortão e queria pular a água com N nas costas. Mas N não ser burra, se ele cai N ia machucar e muito! Ai o menino Andor passou, e as feras nem atacaram ele. N achar que é por ele tá virado no viado!

N também tentou passar, e nem era assim assustador! Passei de boa, N nem morrer afogada de novo. Ai grupo veio pela água e ninguém ficar afogado pelo caminho e nem ser pego pelo tal de ursigre! Menina Faelina ficou lá no ombro de Odrael para não se molhar... Bichana folgada!

Já o coitado do Odrael ou homi de sorte ficou lá de brincar de corda com o ursigre. N achar que ele brincava de jogar laço em touro quando ser menor... Foi direitinho a corda na cabeça de ursigre. O Bichão nem se moveu, ficou lá parado. Menino Odrael, estava com menina Faelina no ombro e mesmo assim foi com tudo, passou pela água. E menina Fae pulou do ombro dele.
Ursigre viu menino Odrael e deu uma patada nas fuças dele, mas mesmo depois de cair, ele ainda levantou e conseguiu subir na fera, mas bicho ser arisco demais e jogou Odrael longe! N nunca viu cabra mais teimoso, ele ainda assim insistiu em brincar com fera!
Esse ursigre não tava pra brincadeira não Taryna, até rosnou pra Nanoquinho. Nanoquinho ser muito corajoso, mas dessa vez ficou de medinho da fera. O bichano só não avançou de vez em Odrael, por que gente tava tudo em frente dele.

Taryna: Minha querida N, não se deve brincar com poderes místicos! Magia é algo perigoso, principalmente se esses conhecimentos são dominados por pessoas que desejam manipular pessoas e ganhar o mundo! É preciso ter cuidado, pois reverter magias é conhecimento de poucos! Mas o que aconteceu com o Odrael, ele deve ter corrido muito perigo ao enfrentar esses animais!

N: Por isso que N nunca gostar de magias... E então Taryna, esse menino Odrael quis ser metido a valentão e ficou lá lutando com a fera e mandou grupo procurar os bagulhos da Fae. Se N não tivesse virado porquinha, N teria ajudado ele a matar essas feras.
Mas já que mandaram grupo seguir enquanto menino Odrael ficou lá enfrentando os ursigres sozinho, grupo foi lá procurar bagulho de menina Fae. Até que achamos um bando de tralha, parece ser coisa boa, coisa de gente rica!
N nunca viu os zoio de Fae brilhar tanto depois que ela encontrou os ouro dela.
Nossa Taryna, N nunca viu tanta zoro junto, tudo tão alumiado que fazia gosto. N nem querer nada não, só queria pegar pra ver o brio de pedra bunita sabe... Mas não menina Fae já gritou, não mexa, não mexa! Affss, N gostar dela, mas Fae saber ser chata viu?
N, nem quis mais papo, melhor deixar aquela bichana caçar coisa sozinha. Não precisa de ajuda de N mesmo! N só serve pra bater, mas na hora que não precisa, menina Fae tira N da jogada. N não gostar disso, não mesmo!

Taryna: Então, Fae encontrou o tesouro que ela tanto queria? Isso é ótimo, mas como vocês carregaram tanta coisa? Me diga o que aconteceu?

N: N ficou lá no canto, bizoiando grupo. Fae achou um pau com pedra na ponta, N não entender bem nome, povo chamar de cetro. Como menina Fae, não conseguir levantar cetro, foi pedir ajuda de grupo. Nanoc tão bobo, foi lá ajudar, mas N perceber que Nanoc não gostar de segurar isso! Menina Fae, ser tão fraquinha, ficou lá pegando anel, ouro. N ter impressão que anel ser coisa de dimonio, até deixou menina Fae mais rápida!
N entender que menina Fae procurar pedaço de pano, parece ser tipo manto. Viadinho de grupo parece gostar de pedra que bria também, tava todo cheio de ouro nos chifre!

Taryna: Mas N você precisa entender, que este é o jeito de Fae, ela não faz na maldade, apenas foi acostumada a ser assim. E você nem tentou mais ajudar o grupo, ficou só olhando?

N: Não adianta, N acaba ajudando grupo! N até pensar ter achado o tal de manto, mas menina Fae diz que não, então N não teimar...
Enquanto menino Andor colocava coisas em chifre. Menina Fae, Nanoquinho e N tava lá caçando o pano. Parece que N com focinho de porco encontra mais coisas agora, N achar ter sentido manto de Fae, mas só era uma calça briosa. N tenta puxar e cai um monte de bagunça, nisso menina Fae vê uma coisa em cima, e Nanoquinho ser esperto e saltar pra puxar o tal de manto. Menina Fae ficar feliz em ver o tal de mando, e Nanoquinho pegar manto e colocar em menino Andor.
N achar ter encontrado o tal tidoto pra curar veneno, logo mostrar pra menina Fae e Andor. Nanoquinho também encontrar poção. Só que Nanoquinho e menino Andor fazer bagunça demais. Nanoquinho quebrar vidro e ficar pequeno. Menino Andor quebrar vidro e beber poção e começar a espirrar. Isso também ser coisa de capeta, do espirro de menino Andor, fez aparecer outro Andor mais forte e mais maior de grande em forma de viado! Era um viadão Taryna, N nunca ter visto viadão tão grandalhão.
Droga era para N ter bebido no lugar de menino Andor, mas N ter medo de quebrar vidro, poxa...
Menina Fae, colocar coisas em Andor pequeno e em Andor maior de grande também... Como não ter mais que agradar menina Fae, Fae mandar povo sair...

Taryna: E o pobre do Odrael? Ainda está vivo? Vocês acharam o corpo dele? Óh Céu, quanto risco vocês passaram...

N: Quando grupo voltou Taryna, vc nem acreditar, o danadinho do menino Odrael deu conta do recado e matou todos os ursigres. Fez uma piscina de sangue, igual N é acostumada a fazer nas bataias! Isso tudo na brincadeira de ficar jogando corda em cabeça de ursigre.

Taryna : Nossa, isso sim é surpreendente! Os deuses o ajudaram, tenho certeza! Mas vocês tinham pego tudo mesmo? Conseguiram sair sem ter que enfrentar alguma aberração?

N: Taryna, menina Fae mandou, água parar! N achar que não tinha mais nada lá já que e menina Fae deu ordens de grupo sair de lá! Nem depois que vira gato ela para de mandar em grupo. Mas grupo se deu bem e pegar carona em Andor maior de grande.
N ficar tão feliz por sair daquele buraco do capeta, mas quando grupo chegar na porta de caverna, caverna fechada com pedra. N sabia, aquilo ser coisa de Aidi mesmo.

Taryna: Mas como vocês conseguiram sair de lá? Oque fizeram?

N: Ah Taryna, menino Odrael, ser esperto mesmo! Ele ter umas coisinhas pra estourar pedra. Menino Odrael mandar todo mundo pra trás e explodiu pedra para abrir passagem pra grupo sair de lá! Explodiu tudo, foi pedra pra tudo que é lado! Pedra machucar veado grande de menino Andor, Andor, Nanoquinho e N.
Quando N achar que tava tudo di boa, na paz, vê um bando de homi lá fora. Homi tudo cheio de arma, parecer nervoso.

Taryna : E quem era este homem minha querida N?

N: N reconhecer ele, era o tal de Alifer que gosta de menina Fae! Menino Odrael não conhecer Alifer e já ficou preocupado! Menina Faelina parecer gosta de ver Alifer e já foi logo se esfregar na perna dele! Eita bichana danada ela!
Mas Alifer achar estranho tanto bicho tentando falar, e já foi perguntar coisa para menino Odrael! Odrael dizer para Alifer, que ele é o príncipe das elfas do norte! Alifer ficar caçoando de menino Odrael. Mas dizer ser apaixonado e procurar por paixão dele.

Menino Odrael perceber que paixão de Alifer ser Fae. Ele tentar explicar para homi que a bichana ser Fae. Mas parece que Alifer não acreditar em Odrael. Mas menina Fae, tentar mostar pra Alifer que grupo não ser bicho e que a bichana era ela.

Taryna: Mas ele acreditou em vocês? Oque aconteceu depois?

N: Ah Taryna, esse Alifer ser camarada, por isso que menina Fae ter caso com ele! Ele disse que ia levar grupo pra mansão dele... E que mansão! No caminho o garoto de jornal dizer que menina Fae e grupo ter sido assassinado! Ai tem coisa feia Taryna e menina Fae parece não gostar disso... Mas enfim, grupo ficou lá de boa, mesmo Alifer tendo medo de N fazer sujeira em casa limpa dele, ai que raiva! Enquanto menino Odrael tentar explicar quem fez isso com grupo!
Menino Odrael dizer ser mandado de Torinho! Alifer ficou estranho em ouvir nome de Torinho e menino Shinka, mas dizer que não conhece eles!

Taryna: Ah minha N, ao menos ele não tentou matar vocês! Mas coisas ruins poderiam ter acontecido com todos vocês... E ele o que fez? Propôs-se em ajudar?
N: Alifer dizer pra Odrael que conhecer mago que faz magia que desfaz magia, mas já disse logo... Se nada acontecer, vai mandar matar menino Odrael. Menina Fae parecer assustada em magia não dar certo e Alifer matar grupo, e ficou lá tentando escrever. Mas gatos nem tem mão pra isso. N até tentou dizer pra menina Fae cagar e passar pata pra Alifer ler, mas ela não ouvir conselhos de N. Alifer não entender o que a Fae fazia. Só mandou grupo ir pra quarto que ele tinha preparado pra grupo dormir e tinha um monte de muié pra cuidar da bagunça nossa!
Só Fae que ficou no quartinho de Alifer... N não saber oque rolou lá, mas N ter medo de como menina Fae ficou depois!
Lá no quarto de grupo N percebeu que muié pertubar menino Odrael a lavar catinga de corpo! N não gostar dessa sem vergonhice e já foi empurrando essa saliente, oferecida! Nem respeitar homi casado e ficar vendo menino Odrael lá peladinho!
N não conseguir dormir e ficar lá atenta! Agora N ansiosa pra ter corpinho de volta. Mas precisa aparecer sol pra Alifer levar grupo pra mago que tem magia que tira magia!

Taryna: Minha querida N, desejo que este mago realmente seja bom o suficiente para reverter esta magia! Temo que coisas boas não irão acontecer se isso falhar... É preciso que vocês tenham uma estratégia caso isso não venha dar certo!

N: É Taryna, N ter medo disso! N ter sempre medo de magia! Agora grupo ficar aqui e esperar o que vai acontecer! Mas por enquanto é isso Taryna, N avisar pra você o que acontecer depois disso!
 [PM]
 [Go to Top]
Andor Yorec
Posted: Apr 22 2012, 01:06 AM
 [Quote Post]


Novato
*

Group: Members
Posts: 18
Member No.: 34
Joined: 7-July 11



E lá estávamos todos nós, transformados em animais! Meros animais... Ao menos eu detinha ainda minha capacidade de pensar... Que digamos, nunca foi das minhas melhores capacidades heheh. E para Nanoc, não creio que houve tanta diferença nesse quesito... Nah! Maldade com o amigo verde. Sempre confiável, sempre de boa intenção, ingênuo e excelente amigo de caneca, fora o estrago que ele faz nas linhas inimigas (e às vezes nas amigas também) com seu machado! N de porca – realmente me pergunto se o mago pirado tinha algum senso de humor -, Fae de gato, o bruxo de cobra e e eu de veado ¬¬... Só o saltitante e alegre Odrael não foi afetado.

Conseguimos sair da maldita caverna, depois de saquearmos alguns itens que Fae dizia serem seus – mas que diabos, quanto mais ela oculta do grupo e temos de descobrir da pior forma? - e que deveríamos entregar para a porra do Crimson que se acha o cara. Que pena, queria mesmo negociar com o maluco e conseguir um trato para nos curar e eu arrancar as entranhas do eu-sou-o-cara. Mas o mago era pirado mesmo, nem conseguia ver o potencial de negociar conosco... E nos transformou em animais... Argh, a revolta obscurece minhas memórias, preciso voltar a lembrar o que aconteceu recentemente...

Corremos de volta para a entrada da caverna, que estava obstruída por um desmoronamento, e Odrael conseguiu causar explosões, não entendi direito como... Sei que fui atingido por rochas, doeu, mas nada fatal. Logo que saímos, o babaca do Alph estava lá e nos prendeu. Imbecil, não conseguia ouvir o Odrael.

Ficamos presos na casa do babaca. Fiz sujeira lá, afinal, como animal, pra quê usar fosso? N fez a mesma coisa. Fae ficou se esfregando em Alph e ele acariciando ela... É... ¬¬

O imbecil passou a interrogar o garoto saltitante. Não acreditou em merda nenhuma que o garoto disse. Então, pra quê perguntar? Babaca mesmo biggrin.gif Ficou decidido que esperaria até amanhã para então trazer um mago e reverter nossas formas para as originais... blá, blá, blá... claro só podia fazer isso no dia seguinte? Sei... E lá ficou ele falando inutilmente ainda com o garoto. Fiz uma bagunça, assim como N, mas ninguém ligou.

No final, fomos movidos todos para um quarto, menos a Fae. O babaca ainda parecia “gostar” de animais e levou Fae consigo... O resto confinado no quarto. Não aguentei a chatice, saí, comprei briga com um guarda de merda e fui cercado. Nanoc, na forma de um cachorro pequeno, foi para a briga também! Yeah! Só o amigo verde para cair na porrada! cool.gif

Levamos uma surra ¬¬' - eles verão quando tiver Ice em minhas mãos humanas, vou mostrar a esses merdas como se corta carne, como é um guerreiro forjado pelo ferro e fogo – fui amarrado, Nanoc preso a uma coleira. No fim, tivemos de dormir mesmo e esperar o veneno nos matar. Ou melhor, torcer para que não tenha nos matado até o dia seguinte.

Acordei no dia seguinte, ainda amarrado. Permaneci deitado ouvindo tudo. Ao menos a porra da forma animal me dava uma audição do caralh* - eu teria levado uma porrada na cabeça do meu velho tutor por estas palavras... heheheh – Então, com minha “superaudição” fiquei ouvindo o que se passava... E ainda alimentando o que não via com minha imaginação pérfida – que às vezes muito me agrada cool.gif ou realmente me perturba sleep.gif.

Deu para ouvir Alph orientando sua guarda e suas servas – ao menos espero que ele as coma, e não coma os guardas biggrin.gif … Ei... Aliás, espero que ele coma os guardas ao invés das servas! Assim ele não mexe com a Fae mais... Nah, pouco importa. Tenho de preocupar com minha pele aqui. O babaca ordenou as servas como deveria nos alimentar... Fiquei com alface... ugh... Melhor que um rato ao menos.

Ouvi Fae miar. Pft. Depois me soltaram, mas preferi fingir dormir ainda. Os N's também foram soltos. Aparentemente todos foram comer, inclusive Odrael que ordenava as servas como se dono delas fosse... Mas elas mereciam isso mesmo.

Fae miando enquanto o imbecil falava com um retardado – acho que era, não falava direito. Discutiam se não tinha como reverter nosso estado. O retardado nem desconfiou que Fae era uma humana transformada. O imbecil precisou explicar. Olha só: um imbecil explicando para um retardado! Hhahahaahah parece comédia trágica biggrin.gif hahahah... Bom, no fim o retardado falou coisas emboladas e sem sentido, ouvi uns sons estranhos, talvez o vento, sei lá. Daqui a pouco ouvi Fae falar!

Ela tinha voltado então a ser humana! Ótimo, logo todos estaríamos normais e o acerto de contas estaria logo adiante... >:) Mas, não. Fae agradeceu o imbecil – oras, o cara é um lerdo que não notou nenhuma tentativa de comunicação de Fae, desacreditou o garoto Odrael, fez-nos esperar um dia (ou seja, bem em cima do prazo da morte, senão além) e ela agradece docilmente o cara! Sendo que ela trata com rudeza aqueles que se matam por ela... É, é a Fae.

Logo depois de um diálogo aguado entre ela e o imbecil, ficou claro que o retardado só tinha mais uma magia para reverter alguém. O imbecil disse algo como: “tem de escolher um”. Ótimo, beleza! Melhor que nada. Mas o que o imbecil fez ontem de noite? Nem mandou aviso para o retardado se preparar para o grupo todo? Ao menos 5? 4? 3!? Não... Deixou por isso e por “sorte” o reatardado podia fazer só duas vezes... Tudo bem, pelo menos um outro poderia se livrar dessa merda.

Fae tinha de escolher. Ela não escolheu. sleep.gif . “Não tenho um preferido”. Ótimo. Não tenha e escolha. Escolha pela necessidade, escolha pela utilidade, sei lá. Mas escolha. Porém, não escolheu. O resto do grupo comendo, Nanoc ali implorando para a Fae escolhê-lo e seria ótimo, porque o amigo verde é leal a ela, poderia protegê-la, chutar a bunda dos guardas de merda se necessário, impor respeito ao imbecil. Mas foi ignorado. Fae se retirou com o imbecil para seu escritório discutir.

Ouvi pouca coisa da discussão, por ser dois recintos do meu quarto, mais barulhos dos guardas e de Odrael ordenando servas. Mas algo como Fae ter sido uma líder aqui e sua ausência ter levado ao caos, blá, blá, blá. Alph queria que ela ensinasse como ela o fez. Novamente, segredos. Ela disse: “Segredos, caro Alph”. ¬¬ “Caro Alph”? “Caro”? Claro, claro, ele é um primor de pessoa com o grupo...

Uma coisa que não pude deixar de ouvir, afinal, ouvidos de mercenário apurados para esta palavra específica, mais audição de veado/cervo: “dinheiro”. Parece que Fae tem tesouroS aqui em Kallamehr, boa parte nos esgotos... Mais segredos...

Depois discutiram sobre veneno e como reverter. Finalmente. Só estávamos morrendo mesmo, ouvir uma história, discutir sobre dinheiro vem antes.

Finalmente, alguém do grupo, quem? Tem de ser o amigo verde, claro! Consegue chamar atenção da Fae. Fala algo... um nome... não sei ao certo... Verdenho... Vertebo... Verteto... hm... não... Verdelo! Causou uma reação bem surpresa de Fae... Mais história? Mais segredos? Não sei. Algo como ele ser um bardo e Haisenkar ter ouvido ele falar... Algo assim. Ficou confuso. Catei outra frase de Fae: “eu tenho de recuperar minha cidade...” O.O A cidade é dela? Foi dela? Legal sabermos disso quando botamos os pés aqui.

Fae prossegue com planos para invadir algum lugar, escutando o imbecil. Até onde podemos confiar nele? Ele pode até ser leal a Fae, mas o cara é tão lerdo que vai acabar nos ferrando por imbecilidade mesmo. Ela ainda o chamou de “querido”. Acho que realmente as coisas andam fora de lugar.

Aí deu a louca no bruxo. Antes racional, sem deixar emoções atrapalharem-no, agora passa a falar de não querer que vejam ele “nessa forma horrível” sleep.gif Eu esperaria isso de uma mulherzinha. Ele afirmou que iria para a cidade arranjar pergaminhos e voltar para nos reverter à forma normal. Ao menos alguém com iniciativa para ajudar o grupo. Pelo menos isso eu devo dizer dele. Tentaram impedir ele, N's e Fae, mais guardas bundões. E ele, como o esperado, puf! Sumiu. Teleporte. ninja.gif

Um soldado resolve se vangloriar zoando com uma porquinha... Que soldado deplorável... Que nível ridículo de guarda, precisar zoar com uma porquinha... Se o imbecil entrar em guerra com outro idiota qualquer que se acha o bonzão, ele vai se f*der com esses guardas – novamente lembro do cascudo do velho tutor biggrin.gif N fica irritada, claro, deveria mesmo. Queria ver o bundão zoar com ela na forma normal dela. Hehehe. Fae se irritou e finalmente fez algo: desarmou o guarda tão rápido que este nem reagiu. Ao menos foi o que me pareceu pela reação dos outros comentando. Depois a Fae gritou com eles dando ordem como se fosse dona da casa... Quem sabe, será.

Os guardas baixaram suas crinas depois dessa. Mas os guardas ainda diziam coisas com provocação, nada muito sério, dava para responder com provocações (como eu e Odrael gostamos de fazer), mas Fae esquentada, N então nem se fala. Fae vira para o retardado e manda reverter N. Como assim?! Reverte a frenética já irritada no meio da mansão? A ideia é matar todos os guardas? Deixar o resto do grupo assim? Porque vai saber se o imbecil ainda vai ajudar, se vai sobreviver, sei lá. Então ela escolhe na raiva irracional de uma discussão inútil (confesso que eu daria umas porradas no guarda, mas não sairia matando em ira insana, ainda mais se tenho poderes de controle mental que ficam descontrolados com a raiva... ). Aparentemente o retardado não podia falar com mulheres, não porque era viado, mas algum contrato de poder, sei lá. Pelo que pude ouvir, ele reagiu bem mal e causou algum efeito.

Pelos gritos, Fae caiu inconsciente. Gritos para buscar água. É... só complicando nossa situação. Senti o impulso de ir lá acudi-la, mas ia fazer o quê? Nem tenho mãos. Fae voltou a si. Trocas de ofensas e provocações. Pft. Só falam, fazem nada. Faltava eu e Nanoc para mostrar como se faz.

Ouvi algo sobre campeonato para resolver desentendimentos, apostas, algo assim... Ficou meio confuso. Sei que o capitão dos merdas decidiu que se o grupo vencesse o campeonato, arranjariam um jeito de reverter... Certo... Mas o imbecil não ia providenciar isso? Estão negociando o que já nos deveria ser dado? Quanto mais ouço e menos falo, mais reparo como devo ser mais atento e cuidadoso – embora meu temperamento não ajude muito... biggrin.gif

E quem novamente mostra como se faz?! O amigo verde! Não tem mãos? Não tem machado? Não é grande? E daí?! Meteu os dentes no saco do guarda! HAHAHAHAHAHA laugh.gif E o amigo verde vinga seus amigos pulguentos castrando um guardinha... ou seria... A guardinha agora?! cool.gif HAHAHAHAHAHA

O Capitão fecha o acordo de lutas na taverna. Fae põe o grupo para escolher qual dos guardas vai querer chutar a bunda e pronto. Se gostarem da mercadoria, dizia o capitão, reverterão nossos estados para podermos lutar. Mas como vão gostar da mercadoria, se somos animais!? O.o Fae volta a falar com o imbecil, toda educada, amável... < <

Finalmente ela passa a se preocupar com o antídoto. Imagino que ninguém morreu na frente dela para lembrá-la. Aí novamente, discussão sobre um tal de Verdelo, silêncio, depois discussão, Fae gritando histericamente de raiva, praguejando... Algo sobre assuntos para terminar... Mais coisas do passado presumo, que ignoro. Mais discussões, Odrael dando ordens para ser servido. Novamente, Fae se lembra do antídoto e não ouço mais sua voz.

O cheiro da carne assada... Antes sempre acolhedora e suculenta. Agora me causava repúdio. Merda de forma animal. Levantei-me e fiquei andando pelo quarto. Ficar deitado tanto tempo, dá sonolência. Fui para o salão, nem reparei em Fae sentada no banco. Procurava um lugar para me aliviar. Perguntei para o guarda, mas nem ouvi a resposta, eles que se fodam, só complicam nossa vida, forma de animal, comportamento animal. Mijei mesmo na primeira planta que vi. O guarda me golpeou na cintura, derrubando-me e jorrando mijo nele HAHAHAH biggrin.gif Dizendo sobre regras do imbecil, bla, bla, bla. Que seja. Terminei de mijar mesmo, já tinha começado não tinha jeito e eu que não ia parar cool.gif .

Fae já queria me repreender. Claro, o cara que se mata para proteger ela, sofre repreensões e grosserias. Mas o cara babaca, imbecil, que fica lá puxando o saco dela ela trata com afabilidade, “caro”, “querido”, “obrigada”, “poderia”... etc. Apenas confirmei visualmente que ela retornara para a forma humana e comentei o fato de SÓ ela ter sido revertida. Estou ficando farto dessas “coisinhas”. Não esperava resposta, não queria ouvir uma. Só fui para a copa, onde o amigo verde reclamava querendo comida de verdade, Odrael se esbanjava em carne e bebida. Olhei a carne, senti repulsa. Olhei a porra do alface e o devorei. sleep.gif Nunca gostei de vegetais... E o mais engraçado, é que o que eu engolia voltava e eu mastigava, mastigava, engolia, voltava, mastigava... É nojento, mas na hora achei até bom. Só que babei como nunca hahahaha. Até o “príncipe” se mostrou não educado ao se limpar na toalha de mesa hahahaha. Fiz questão de babar e quebrar as coisas na mesa...

Enquanto comia, Odrael dando ordens para serviçais, Nanoc reclamando por comida, N conversando com eles, pude ouvir Fae conversando com uma mulher no salão. Pelo que entendi na conversa, a mulher queria ser como Fae. E então, ela diz algo como: “Eu não tenho homem, mulher... Não deixo eles mandar em mim... Ninguém me protege, eu tive aprender a me proteger sozinha”. Certo... “NINGUÉM me protege”. Claro, claro. ¬¬

Fae sugeriu que reunissem mulheres para bater no homem. Claro, servas batendo em sei lá, um nobre? O imbecil? Será que Fae nem imaginou que Alph poderia permitir abusos ou até cometê-los?Foda-se, não é meu problema. Depois ainda orienta a mulher a usar veneno. Do que eu já vi de rebeldia, é que o rebelde só se fode. Ele é descoberto e paga mais caro do que se tivesse ficado quieto. Era melhor esperar o grupo estar bem, comprar a liberdade dessa serva ou garantir pelo medo que ninguém o faria. Dar uma arma para alguém que não tem preparo é pedir por problemas. É assim com espadas e ferramentas, é assim com veneno. Mas Fae até se ofereceu para ensinar isso... Incentivando uma serva a buscar vingança – bom, eu sou vingativo, mas sou livre cool.gif guerreiro sem nada a perder.

Nanoc sentiu a presença de Haisenkar, aconteceu uma confusão, pelo que entendi, Haisenkar picou o amigo verde ... Hã.... É... Algo assim. Nanoc foi envenenado. Ele disse que o bruxo ainda era uma serpente, mas maior. Eu fui me deitar. Afinal, como pegar alguém invisível e que se teleporta? Não, sem paciência para joguinhos. Já tivemos joguinhos demais em Kallamehr.

Fae reuniu o grupo no quarto, onde eu estava. Botou uma fusão de ervas e mais algumas coisas e disse para respiramos a infusão, pois era antídoto para o veneno do Crimson. Se vai nos curar, não nos envenene para começar... Mas tudo bem. Ao menos ninguém morreu depois de toda essa enrolação e desvios etc. Todos inspiraram a infusão e, acredito eu, se sentiram melhores. Porém, amigo verde estava envenenado pelo Haisenkar.

Fae então nos informa do campeonato e que ela e o garoto saltitante iriam participar pelo grupo. Certo. Uma ladina vai lutar num “ringue” blink.gif ... Claro. Não o bárbaro de força descomunal ou o guerreiro. Vai a ladina... Que seja. Ao menos o Odrael parece ágil, pode derrubar um bêbado pela quantidade de socos ao menos.

Odrael vai com Fae para falar com o retardado, afinal o cara só falava com homens, não com mulheres. De certa forma isso deve descomplicar a vida do coitado mesmo. Mas antes que saíssem do quarto, o imbecil bate na porta e já diz: “Mudança de planos, temos urgência, descobri coisas”.

Espero que não seja outra merda jogada sobre nós. Mas como minha sorte é uma prostituta e eu sou pobre, provavelmente é merda para ser jogada sobre mim cool.gif É a vida. Cada um cuida de si, os deuses fodem todos! Hahahahahaha


--------------------
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
nanoc
  Posted: May 11 2012, 01:37 AM
 [Quote Post]


Calouro
*

Group: Members
Posts: 4
Member No.: 37
Joined: 21-August 11



Serviço de registros do Sopro do Dragão

Eu, escriba Mam’n Weel, letrado em dracônico, élfico, órquico, gnômico, celestial, silvestre e gauchês, tenho a honra de coletar os relatos dos soldados do Sopro do Dragão e reuni-los sob forma de crônicas na Grande Coleção do Dragão, o SD Tales. Como alguns dos soldados são iletrados, é dever meu entrevistá-los e coletar suas memórias . O próximo soldado a ser entrevistado é um meio-orc bárbaro que viveu uma estranha e interessante aventura, a qual designei o nome de:

AS CRÔNICAS DE NANOC MATA-BRISA

- Por Boccob, o que aconteceu enquanto eu estava fora? Cadê meus pergaminhos de relatório que... Pode entrar!

- Aeee Irina!! Vamo lá depois no... MANUEEEEELLLL!!!!1

- Aff! Saudações Nanoc.

- Tu voltar, véi! Nanoc já com saudade de tu.

- Imagino. Pena não dizer o mesmo a seu respeito.

- Ah, brigado. Assim deixar Nanoc com vergonha, hehohahahshs. Onde tu tava, doido?

- Doido? Mas que huh.gif ... Eu estava em um retiro espiritual no monastério ocidental de Boccob, orando para minha recuperação, já que este trabalho quase me custou o juízo.

- Ah, tá. Nanoc espera que tu teja melhor. Nanoc sentir falta da Irina... bem, não muito já que a gente se encontrar depois pra sair pra tomá umas.

- Já este, aliás, é um assunto que quero discutir depois com ela por ficar freqüentando estes antros de bárbaros e guerreiros ébrios. E também com você por ter tirado minha assistente do caminho da virtude.

- Olha, esse caminho da virtude Nanoc não conhece, mas se ficar perto da taverna, Nanoc acha.

- Aff! dry.gif Pelos Deuses... enfim, comecemos! Eu li o ultimo relatório de Yerinea e até onde pude “traduzir” – já que, imagino ser incrivelmente difícil escrever quando suas idéias estão tomadas por uma garrafa de cachaça barata dry.gif – seu grupo ainda estava abrigado na casa deste... er... Alph, não é, e ainda na forma de animais. Foram traídos por um dos seus e este indivíduo ainda te envenenou *pelos deuses, por você não morre facilmente*.

- Poisée! Se Nanoc pegar esse tal Rasen, cortar ele no meio. Picar nanoc e deixar ele com perna doente. Mas Fae procurar com o Alf pra ver se ele ter cura pra veneno da cobra mas ele e nem as muié que trabalha lá tinha.

- E como sobreviveste a tamanho infortúnio? *Boccob, como pode deixar ele sobreviver?* sad.gif

- Err... Nanoc não tava com esse intofúnio, não. Tava era envenenado.

- Pelos Deuses, Nanoc! Como se curou?

- Ah, tá. O Alf não tinha o remédio, então ele achar melhor transfomar Nanoc de volta em meiork pro veneno não fazer efeito até ele achar remédio.

- E funcionou?

- É... o Kazaa chegou com uns papel e começar a fazer umas macumba e nanoc voltar a ser esse meiork lindo que tu ver.

- Discordo da parte do lindo. Alias, discordo de terem revertido sua maldição. Ah, prossiga.

- Não! Ele trasnformar Nanoc pra meiork, não pra Siga.

- Aff... dry.gif

- Ok. O Alf falou que o Alvo ia pra taverna de noite e que a casa dele ia tá com pouco segurança. Sei lá que é esse tal de Alvo, mas a Fae disse que ia lá sozinha e que não ia querer nenhum dos amigo animal por lá. Nanoc ficar triste e querer ir com fae, mas ela dizer pra gente ir pra taverna lutar e ela ia pra casa desse tal de Alvo. Até vestir roupa preta que Alf deu pra ela. Porque Nanoc nunca ganhar roupa?

- Imagino porque essa sunguinha de texugo já é mais que suficiente pra você.

- È mesmo! RIAHAIHAISHAHHSHSAHSHAH! Nanoc até fazer sunguinha nova com pêlo de urso marrom. Gostar?

- Olha, prossi... continue sua historia, sim?

- Ah, tá. O Alf mostrar um mapa da casa do Alvo, mostrar como descer pelo telhado e entrar nos quartos pra procurar as paradas que ela quer, atrás dos quadros da parede. Mas ó, sem acordar as menina que tava na casa. Tudo escondido.

- Imagino que uma missão furtiva para uma ladina não deve ter tantos empecilhos.

- Depende, esses empecilhos dá pra vender por muito dinheiro?

- Nanoc....unsure.gif porque você... *aff*... tem tanta dificuldade em aprender o significado das palavras?

- Nanoc nem saber que empecilho é palavra.

- Apenas, por Boccob, me poupe de sua ignorância e me conte como foi esta missão de sua amiga Fae.

- Tá bom, tá bom, num se irrite! A Fae se despedir da gente com os zói marejado e sair e... bem, a Fae dizer depois de um tempo o que ela foi fazer na casa do Alvo. Ela entrar num quarto do Alf e colocar a roupa preta e por cima um vestido pra ninguém dizer que ela é ladra, sabe. Ai coloca peruca e maquiagem e fica mó cara de dozela, véi! Nanoc pegava até.

- Poupe-me destes comentários xulos e pross... continue.

- Ah, ela dizer que ir até a casa do Alvo, lança uma corda na beirada do muro e subir. Ai ela fazer buraco onde tava as telhas e descer com corda só que a corda desamarrar e ela cair na sala. Ai, ela levantar e ver atrás de quadro na parede e achar um buraco atrás de quadro que ela enfiar a mão e tirar umas moedas, uma bonequinha e uns pregos.

- Moedas, boneca e pregos? Isso está mais para um esconderijo de objetos de infantes.

- Só se elefante for pequeno, poque a mão dele num caber num buraquinho daquele não.

- *aff* dry.gif

- HEHAHEHSAHSHS! A Fae disse que sair andando pelos quarto bem quietinha até achar umas preda do dragão jogadas em cima da mesa.

- Pedras do Dragão? É isso mesmo? Então este tal “Alvo” *aiai* deve ser um homem não só muito rico mas bastante influente.

- Ah, essa Nanoc saber, Nanoc saber! Influente é aqueles rio pequeno que desemboca nos rio grande, né?

- ... sleep.gif *Pelo Plano Sagrado dos Deuses, porqueeeeeeê?* - Sim, Nanoc, exatamente isso. *Snif*

- AHAHAHAHAH! Nanoc sabido pra caray! wink.gif Ah, a Fae ver uns guarda conversando no corredor, então ela ficar sem saber o que fazer. Ai ela entrar num quarto qualquer e achar um quadro pendurado, mas pegar no quadro, tinha umas agulha envenenada dos lados do quadro.

- Veneno?

- È, ela começa a ver tudo embaçado, mas ela consegue ver cofre atrás do quadro e começa a fazer as traquinagem dela pra abrir o bixo. Ela dizer que foi difícil, que errava ,mas ela conseguir abrir e pegar a Tara e mais umas jóias.

- Não seria “Tiara”?

- Isso ai mesmo. Aí, ela volta pra sala que caiu e lança a cordinha no buraco daonde caiu e começa a subir e depois vai pra taverna assistir as nossa luta.

- Ah, sim! No alto de sua ignorância, vocês decidiram participar de um campeonato ilegal e sem sentido de lutas numa taverna fétida e cheia de marginais.

- Orra, cê devia ser poeteiro já que gostar de falar bonito, hein?

- É poeta, Nanoc! E não disse nada de bonito com minhas... olha, apenas diga o que aconteceu, sim?

- Tá bom! Eu e Odarel...

- ODRAEL!!!:angry:

- Esse mesmo! Nóis foi com os amigo animal pra taverna e chegando lá tinha mó galera da cidade e ter um ringue assim feito de pedra, mó legal. O chefe dos soldados inscreveu Nanoc e Odarel pra lutar, mas a gente teve que esperar tomando uma cerva numa das mesa, enquanto não chamava nóis. Ai, o rapaizinho lá chamar o Nanoc pro ringue e o Odarel foi apostar em Nanoc. Foi até fácil, quer ver como Nanoc lutar?

- Fique longe de mim!!!! Senta ai! Só fale, não precisa demonstrar.

- Hah! O soldado mal educado do Alf entrou no ringue todo-todo, botando banca de machão e quando a luta começou, já veio na voadora nos peitos de Nanoc. Mas como num sou bobo, peguei ele pelo pé e taquei ele na pilastra de pedra. Ele levantar meio tonto querendo dar soco, mas Nanoc mais rápido meteu braço de ferro no pescoço dele que chega o neguim voou longe.

- É, pelo visto saciou seus desejos primitivos ferindo o rapaz.

- Tà me estranhado Manuel! Sou cabra macho! Desejo de nanoc só com as muié! Rummmmm! Nanoc foi sentar e pediu metade do dinheiro que Odarel ganhou. Nanoc não é bobo e ficamos assistindo as lutas até que chegou a vez do odarel de ganhar.

- Espero que ele tenha tanta sorte como teve com os ursos híbridos.

-Num era urso-ibido não, é urso-tigre. Então, o Odarel dar aqueles pulo de circo dele e meter a chutada na cara do nego fortinho, mas levar de volta um catiripapo na cara que chega ficar vesgo. Mas aí ele meter um joelhada no nariz do soldado e ele cair pra traz. Odarel muito foda lutando, véi!

- Então, já que vocês venceram este duelo, receberam o prêmio devido? Receberam os pergaminhos com a magia de metamorfose?

- Ah Manuel, aí parada ficar errada: chegou uma mulher e perguntar se somo tudo bom de briga. Ela dizer que se a gente vencer mais lutas, ela arranjava de N e Andor virar gente de novo. Tinha que os 2 vencer luta de 3 roundis pra poder transformar amigos bixos de Nanoc, mas só podia usar faquinha, adaga e esses furadorzim que num resolve nada. Então ela levar a gente pra dentro de uma porta e tinha dum lado 3 buracos cheio de espinho onde os nego lutava e do outro tinha uns povo meio chique torcendo e apostando neles.

- Hum, foram obrigados a lutar mais combates, e pelo o que descreveu, parece um tipo de combate ate a morte.

- Marromenos isso. Ela até deu umas poção pra gente ficar sarado e lutar melhor. Nanoc foi primeiro lutar com um tal de Pedrão, mas como Nanoc não podia usar machado, foi no braço mesmo e Odarel foi apostar de novo. Nego viciado no jogo, né?

- Bebedeira, lutas clandestinas e apostas... sinceramente eu não esperaria nada menos pior de você.

- Dahora, né? Mas o Pedrão já começar passando faca no braço mas Nanoc desviar e segurar ele pelo braço. Ele até torcer o braço mas ele dar uma pisada no pé de Nanoc que... que... errrr.... Nanoc não lembrar...

- Não me admira com sua inteligência limitada querer tentar lembrar de tudo, Nanoc .

- Não, Nanoc... deu branco na hora.

- Aff, já antevi: sua fúria desmedida de novo! Porque você nunca pode manter a calma? Porque sempre que entra em frenesi você esquece-se de tudo?

- Num sei. Nanoc não fazer por mal. Nanoc... só lembrar de acordar e olhar pra mão, ver que tava segurando o Pedrão todo moído e furado... olhar pra parede de espinho com os espinhos cheio de sangue e pedaço do Pedrão... e Nanoc furado no braço... E as pessoas torcendo.

- blink.gif ! Você... não fez isso! Fez?

- Bem, foi que amigo Andor falou depois pro Nanoc. Ele dizer que Nanoc foi preso na jaula e quase mataram Nanoc porque usar a luva da morte. Mas ninguém falar que num podia usar luva, só machado. Odarel defeder nanoc e o jeito foi os outros lutar no lugar de Nanoc. A mulher transformar N em gente e ela lutar com um tal de Negão, até arrancar o olho dele, mas N perder pro Negão.

- Hum, isso sim é uma novidade. Uma bárbara perder numa luta de facas, heh.

- Acho que N se acostumar como porca. Amigo Andor virou gente também e pegar um tal de Éumariati. Ele viu o safado no meio da luta tirou um negoço do bolso e Andor viu que era um pó venenoso. Com raiva, ele pegar o Éumariati e jogar nos espinhos. Hhaheihshahshh, amigo Andor é dos foda.

- Então, acabara-se as lutas?

- Nah! Andor falar que Odarel lutar com Negão. Ele fazer aquelas paradas de circo, mas o Negão meter um monte de chute nas teta do Odarel e ele cair morto no chão. Bem, foi o que Andor dizer. Bem na hora da Fae chegar lá.

- Hum, deixe-me relembrar: dois amigos abandonaram o grupo, uma ficou caída bêbada do lado de fora de uma caverna e somente Boccob sabe o que aconteceu com ela, um se revelou traidor e agora outro morre numa rinha humana. Apesar da total falta de noção das coisas, parece que desta vez vocês tiveram sérios problemas.

- Ô, se Nanoc sabia antes, Nanoc ia na casa das primas antes.

- Com todos esses problemas e você pensando nas meretrizes?? Pelos deuses!

- Num era Meretrizi não, era Boquinha de Anjo... Ahhhh Boquinhaa!!!!

- Poupe-me de seus detalhes... ah, quer saber? Acabou seu horário, vá embora que já estou com dor de cabeça.

- Ah, toma cachaça que passa. Eu daria pra tu, mas Irina tomar toda garrafa antes. Mas passar no bar depois que eu pagar uma cerva pra tu. Falou Manoel!

- Aff! Quando sair diga pra Irina... quero dizer, Yerinea entrar. Quero ter uma conversa bem séria com ela.

- Vish, ela já deve ta no bar, mas eu chamar ela quando eu chegar, falou!

- Minha mãe, porqueeeeee?????? *snif* sad.gif


--------------------
Uglúk u bagronk sha pushdug Saruman-glob búbhosh skai
user posted image
 [PM]
 [Go to Top]
DealsFor.me - The best sales, coupons, and discounts for you

 [Topic Options] Pages: (2) [1] 2   [Responder] [Novo Topico] [New Poll]



Hosted for free by zIFBoards* (Terms of Use: Updated 2/10/2010) | Powered by Invision Power Board v1.3 Final © 2003 IPS, Inc.
Page creation time: 0.0913 seconds · Archive